Divulgação
Divulgação

Mais cruzeiros para Argentina e Uruguai

Na próxima temporada de cruzeiros no Brasil, a oferta de viagens pela América do Sul aumentou 15% em relação à anterior. Enquanto isso, os roteiros rumo ao Nordeste caíram 18% na comparação com 2010/2011.

NATHALIA MOLINA, ESPECIAL PARA O ESTADO, O Estado de S.Paulo

28 Agosto 2012 | 03h10

"Apesar de serem mais caros para o passageiro, esses cruzeiros têm o apelo de uma viagem internacional. E, para as companhias, é menor o custo de operação. Ou seja, o Brasil saiu perdendo", afirma o presidente da Associação Brasileira de Cruzeiros Marítimos (Abremar), Ricardo Amaral. Os altos custos no Brasil, segundo ele, levaram as companhias a apostar na América do Sul. Os roteiros podem incluir paradas em Buenos Aires, Montevidéu e Punta del Este.

Além de cruzeiros do Brasil rumo à Argentina e ao Uruguai, há navios destacados a temporada toda para fazer viagens com partida e chegada em Buenos Aires. O Costa Serena, o Ibero Grand Celebration e o MSC Musica saem de lá para escalas no Brasil, mas não têm embarque em cidades brasileiras - excluindo-se as travessias transatlânticas.

Os navios. Descontando os três transatlânticos que não oferecem embarque no País, o viajante brasileiro tem apenas 12 navios para fazer cruzeiros saindo de um porto nacional. Mas aquelas três embarcações são consideradas no total divulgado pela Abremar. Segundo a associação, a próxima temporada brasileira terá 15 transatlânticos - na conta, entram questões técnicas, como o escritório que comanda a operação do navio e o cumprimento do mínimo de 25% de brasileiros na tripulação.

Neste ano, o Grand Mistral, da Ibero, abre a temporada em 9 de novembro. Além dele, a companhia traz o Grand Holiday e o Grand Celebration. As italianas Costa e MSC vêm para o Brasil com quatro navios cada. Metade deles estreia por aqui: o Costa Fascinosa, o Costa Favolosa, o MSC Magnifica e o MSC Fantasia. Já estiveram no Brasil e repetem a dose o Costa Fortuna, o Costa Serena, o MSC Musica e o MSC Orchestra.

A americana Royal Caribbean aposta novamente no Splendour of the Seas, que vem para a sua sexta temporada no Brasil, assim como o Zenith, da Pullmantur. Sovereign e Empress completam a lista de embarcações da armadora espanhola.

De acordo com a Abremar, juntos, os 15 transatlânticos reúnem 762.570 leitos.

Ao longo da última década - período em que o mercado de cruzeiros marítimos de fato aconteceu no Brasil -, os navios que vêm ao Brasil aumentaram de tamanho. No próximo verão, o maior deles, o MSC Fantasia, tem 333,3 metros de comprimento, pesa 137 mil toneladas e transporta até 4.363 passageiros.

O número de transatlânticos por aqui cresceu de seis em 2004/2005 para o recorde de 20 embarcações em 2010/2011. Desde então, vem caindo. No verão passado, foram 17 navios.

Menos viajantes. Com a temporada mais curta, menos navios e cruzeiros longos, serão 277 saídas no próximo verão - no anterior, foram 386. Com isso, diminui também o número total de passageiros transportados pelos navios. A expectativa é de 758 mil viajantes nesta temporada - na passada, foram 805.189. O último transatlântico a zarpar do Brasil rumo à Europa será o Splendour, da Royal, que parte em 22 de abril.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.