Mais inspiração nas ruas de Munique

Associada à Oktoberfest, a capital da Baviera renova museus, abraça ações culturais e aposta na sofisticação de sua gastronomia - regada a cerveja, claro

Ingrid Williams, O Estado de S.Paulo / The New York Times

01 Outubro 2013 | 02h19

MUNIQUE - Munique por muito tempo foi reputada como uma cidade muito convencional - a exceção, talvez, fique por conta da Oktoberfest, que vai até domingo. No entanto, a capital bávara vem se desfazendo de sua carapaça conservadora para concorrer com Berlim como capital cultural da Alemanha. Nos últimos meses, surgiram pianos públicos por toda parte, com o projeto itinerante "Play me, I'm yours". Além disso, seus prestigiados museus estão passando por reformas importantes.

Instalações contemporâneas enormes - como o cartaz assinado por Ed Ruscha, uma réplica do Fourth Plinth ou até mesmo um relicário para Bubbles, o chimpanzé - aparecem em locais famosos da cidade e fazem parte de uma iniciativa artística inovadora chamada "Um Espaço Chamado Público".

Bom, naturalmente, os biergarten (jardins de cerveja), uma instituição cultural por mérito próprio, continuam animados e alegres como sempre. O legal agora é se abastecer em um deles e seguir para o Glockenbachwerkstatt (Blumenstrasse, 7), que, além dos concertos, oferece eventos variados, como cursos de carpintaria, mercado de pulga e festivais de quadrinhos.

De dia o local funciona como um centro de assistência, mas, à noite, a música ocupa o palco principal. Hip-hop, soul e punk soam alto, mas as noites mais agradáveis são quando as sessões de jazz ou blues lotam a cafeteria.

TRADUÇÃO DE TEREZINHA MARTINO

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.