Mais mordomias para a primeira classe

Na contramão dos cortes de custos na econômica, empresas investem alto para turbinar o serviço cinco-estrelas aos passageiros vips. Da champanhe de boas-vindas à hora de dormir

O Estado de S.Paulo

11 Outubro 2011 | 03h08

Refeições assinadas por chefs, amenities de grife, poltronas que viram cama. Enquanto fazem o inacreditável para cortar custos no último (e mais numeroso) setor da aeronave, as empresas aéreas investem para deixar cada vez mais sofisticados os espaços da primeira classe.

O segmento ganhou uma concorrente de peso no Brasil em março, com a chegada da Singapore. A empresa ficou em primeiro lugar no ranking mundial dos dez melhores assentos na primeira classe feito todos os anos pelo grupo de pesquisas Skytrax (airlinequality.com), especializado em sondagens no mercado de transporte aéreo.

E o que há de tão destacável nos assentos? Poltronas de 90 centímetros de largura, revestidas do mesmo couro usado para fabricar bancos de Rolls Royces que, quando estendidas, viram camas planas com 2,1 metros de comprimento. Mais de mil opções de entretenimento nas telas LCD individuais de 23 polegadas. Nécessaire recheada de produtos Salvatore Ferragamo. Lençóis da grife francesa Givenchy.

Também baseada na Ásia, a Emirates, que voa entre São Paulo e Dubai desde 2007, ocupa o terceiro lugar no mesmo ranking. Chamadas de suítes, as cabines da primeira classe são quartinhos fechados por portas de correr. Lá dentro, tela LCD de 23 polegadas, uma espécie de camarim, com penteadeira e espelho, armário para roupas e minibar. A refeição principal, com sete pratos, é servida em porcelanas Royal Doulton.

Tapete vermelho. Os luxos da primeira classe não começam no voo. E nem terminam com ele. Os vips têm direito a check-in exclusivo e lounges onde é possível tomar banho, ir ao spa ou fazer uma refeição digna de restaurante estrelado. Limusines no embarque estão à disposição na Lufthansa, no terminal First Class em Frankfurt, e na Air France, com o serviço La Première.

A British Airways, quinta colocada no ranking de melhores primeiras classes do mundo, turbinou seus aviões com persianas elétricas e chá da tarde inspirado no hotel The Dorchester, de Londres. Renovou a carta de bebidas com rótulos como a champanhe Grand Siècle by Laurent-Perrier.

A renovação da Air Canada trouxe poltronas maiores (79 cm de largura e 1,91 metro de comprimento), divisórias entre os assentos e telas individuais de 12 polegadas sensíveis ao toque. Na American Airlines, a novidade são as cabines Flagship, com sistema giratório nas poltronas para facilitar reuniões de negócios a bordo.

Única empresa brasileira a oferecer primeira classe, a TAM é equipada com poltronas que reclinam a 180 graus e amenities da marca de cosméticos Korres.

Aéreo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.