Málaga, cidade natal de Picasso

Tradição. A Andaluzia é o retrato da Espanha mais tradicional. Ali resistem o flamenco, as touradas e come-se a autêntica paella. Málaga, às margens do Mediterrâneo, faz parte desse contexto. A cidade pode não ter o prestígio de Sevilha, a Alhambra de Granada ou o glamour de Marbella. Mas tem um charme cativante, só seu. Turística, mas nem tanto. Sim, há muitos turistas em Málaga. Mas não chega a ser uma invasão, como em outras cidades andaluzas. Assim, integrar-se ao modo de vida local parece mais fácil. Acostume-se à siesta, sagrada: nada funciona das 13 às 15 horas, a não ser alguns supermercados. Salir de copas, de bar em bar, apreciando as tapas enquanto bebe uma caña (cerveja) é outro hábito fácil de ser incorporado. Cheia de artes. A Feira de Livros e o Festival de Cinema, anuais, são marcas da aura cultural malaguenha. E o principal ícone local é Picasso. Orgulhoso de sua cidade, o artista não escondia de ninguém o desejo de instalar ali um museu com quantidade significativa de obras suas. E assim foi feito, 30 anos depois de sua morte. O Museo Picasso-Málaga reúne 155 obras do pintor em seu acervo permanente. No centro da cidade observa-se a casa onde o artista nasceu, a igreja onde ele foi batizado... Os malaguenhos adoram falar sobre Picasso. Basta dar corda. Antonio Banderas. Málaga também é a terra natal do ator que encantou Almodóvar. Foi no Teatro Cervantes que ele pisou no palco pela primeira vez. De vez em quando, Banderas ainda aparece por lá... Topless. Nas praias do centro ou nas mais afastadas, o topless impera. O hábito é comum tanto entre as mulheres jovens quanto entre as mais velhas. Não deixe de... Visitar a Alcazaba, fortaleza moura erguida em 1065. Do alto da construção, aproveite a bela vista de toda a cidade. Sabe aqueles castelinhos que você desenhava quando criança? Assim é a Alcazaba. Ao lado dela foi encontrado um antigo teatro romano. Desnecessário. Ver uma tourada. Os toureiros são celebridades na Andaluzia - revistas de fofocas acompanham as trajetórias amorosas de todos eles -, mas o espetáculo é cruel. Até entre os locais há quem rechace a tradição. Pagar para ver o touro ser morto cruelmente? Invista numa paella ou num show de flamenco. Tão tradicionais quanto e muito mais prazerosos. BELA VIZINHA Estique a viagem até Ronda, pueblo de casas brancas construído às margens do Tajo del Ronda, um desfiladeiro de 150 metros. Ali está a Praça de Touros mais antiga da Espanha, de 1785.

Adriana Moreira, O Estado de S.Paulo

02 Dezembro 2008 | 02h51

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.