Mandarim? árabe? novos tempos

Começa a aumentar a procura por línguas inusitadas; alemão, francês e italiano também têm espaço garantido

Camila Anauate, O Estado de S.Paulo

17 Junho 2008 | 02h45

Falar mais de um idioma é um princípio fundamental do mundo globalizado e, por isso, o intercâmbio tem se tornado cada vez mais uma necessidade básica. ''É preciso dominar outras línguas para sobreviver internacionalmente'', opina a diretora de Operações da Brazilian Educational & Language Travel Association (Belta), Maura Leão. ''É importante investir na formação do jovem.''Os números confirmam essa tendência. Pelo menos 85 mil brasileiros saíram do País, no ano passado, para estudar - número 20% maior do que o registrado em 2006. E a estimativa, segundo a Belta, é que o crescimento siga esse mesmo ritmo de 20% em 2008.Os cursos de língua inglesa ainda são os mais vendidos - cerca de 85% - e Canadá, Inglaterra e Estados Unidos, nesta ordem, seguem como os principais destinos dos estudantes. Mas esse cenário tem tudo para mudar nos próximos anos. ''Como muitos adolescentes já falam inglês e espanhol, a procura por outros idiomas está crescendo'', comenta Maura.Aprender alemão, francês ou italiano, por exemplo, pode ser um diferencial importante no mercado de trabalho. E a busca pela fluência num terceiro (quarto, quinto) idioma só aumenta. Ao perceberem a demanda por esses cursos, muitas empresas incluíram no portfólio intercâmbios culturais pelos quatro cantos do planeta. ''Hoje, as empresas de intercâmbio podem mandar os alunos para qualquer lugar do mundo'', diz Maura.O mercado de intercâmbio abriu espaço, inclusive, para línguas mais inusitadas, que estão em alta. É o caso de mandarim, japonês, árabe e russo.Sorte da estudante de Direito Sarah Cavalcante, de 20 anos, que vai embarcar para o Marrocos no fim do ano. Mais do que aprender árabe, uma língua que ela pouco domina, a idéia é mesmo conhecer a cultura marroquina. ''Já fiz intercâmbio nos Estados Unidos e agora quero aprender sobre uma cultura completamente diferente da ocidental'', explica. ''Tenho certeza de que me trará um enriquecimento cultural.''PACOTESEm busca de um diferencial como o de Sarah? Confira os pacotes abaixo (sem aéreo):Na escola Azurlingua, em Nice (França), quatro semanas de francês e acomodação individual custam 1.731.A CI vende curso de árabe no Marrocos. Quatro semanas e acomodação em casa de família (inclui também meia pensão) custam 1.050.Na Connection Line, duas semanas de italiano em Florença, Milão ou Siracuse por 340.A Friends in the World vende curso de japonês, em Tóquio, por quatro semanas. Com acomodação em casa de família e meia pensão, custa US$ 1.724.Na Intercâmbio & Cia, duas semanas de mandarim em Pequim por US$ 1.380. Com hospedagem em residência estudantil e meia pensão.Quatro semanas de francês em Montreal (Canadá) por 960 dólares canadenses. Com a Pressto.Duas semanas de alemão em Konstanz por 1.270. Inclui acomodação em residência estudantil ou em casa de família e pensão completa. Na SIP.No STB, quatro semanas de mandarim em Xangai saem por US$ 2.995. Inclui hospedagem em apartamento privativo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.