Maratona Von Trapp. Nas ruas e no hotel

Um tour pelas locações de 'A Noviça Rebelde'

Adriana Moreira, O Estado de S.Paulo

06 Outubro 2009 | 01h25

Prepare-se para uma verdadeira overdose de Julie Andrews e companhia. A maratona Noviça Rebelde (1965), acredite, começa antes mesmo de você pensar em encarar um dos inevitáveis tours para conhecer as locações do filme. Basta ligar a televisão do hotel e ter a surpresa: há um canal a cabo que passa, seguidamente, a história dos Von Trapp.

 

EM RITMO DE 'DÓ-RÉ-MI' - No Mirabel Gardens, a cena clássica da produção: ótimo lugar para relaxar e tirar boas fotos

Confesso que, com a pouca oferta de programas em inglês, assisti ao clássico umas três vezes. Mas até que não foi tão ruim: depois de um dia andando pela cidade, reconhecer os pontos turísticos na tela é uma experiência interessante. Além disso, dá para constatar o cuidado na preservação dos patrimônios. Em 40 anos, pouco mudou no centro histórico.

O efeito colateral é ter a trilha sonora na cabeça o tempo todo. Especialmente ao entrar no Mirabel Gardens, onde a noviça Maria e as crianças cantam o afinadíssimo Dó-ré-mi. Erguido no século 18, o jardim é parada obrigatória até para quem não é fã do filme. Flores plantadas com cuidado e árvores bem podadas fazem do lugar o ponto ideal para relaxar e tirar excelentes fotos.

 

Veja também:

linkMúsica em forma de cidade

Já os aficionados podem até se hospedar na casa onde viveu a verdadeira família Von Trapp - o imóvel virou hotel há um ano (o Villa Trapp). Ou seguir em um dos muitos tours temáticos. Mas, a não ser que você queira detalhes minuciosos, faça tudo por conta: a maioria das atrações têm fácil acesso.

PARA SE MOLHAR

Uma delas é o Palácio Hellbrunn, cuja fachada virou a casa dos Von Trapp nas filmagens. A construção foi idealizada no século 17 pelo príncipe-arcebispo Markus Sittikus - espécie de Ivo Holanda da Idade Média. Ele adorava pregar peças em seus amigos e fez de Hellbrunn um local divertidíssimo, principalmente nos dias ensolarados.

Há fontes espalhadas por toda a parte. Algumas grandes, entre esculturas e jardins. Outras menores, disfarçadas, que pegam os distraídos de surpresa.

Como na espécie de palco em miniatura, onde bonecos se mexem ao som de uma canção. Impossível não se encantar e chegar pertinho para ver os detalhes. E tomar um banho inesperado.

linkInformações sobre o filme em Salzburgo: www.sound-of-music.com

linkHotel Villa Trapp: www.villa-trapp.com. Diárias: € 220 (R$ 567)

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.