Marbella e Puerto Banús, estrelas do verão no Mediterrâneo

Na Costa do Sol, Marbella ocupa uma inegável posição privilegiada. Sua infraestrutura de hospedagem, esporte e lazer se destaca numa área turística de 300 quilômetros de praias mediterrâneas que banham a região de Málaga. Beach clubs, campos de golfe com 18 buracos e seu harmonioso centro histórico fazem dela um estrelado epicentro do verão espanhol.

MARBELLA, O Estado de S.Paulo

13 Agosto 2013 | 02h18

Faustosos complexos hoteleiros dominam as praias e disputam a preferência de uma clientela VIP. Há três verões a primeira-dama dos Estados Unidos, Michelle Obama, e sua filha Sasha curtiram férias hospedadas em uma área exclusiva do Villa Padierna (hotelvillapadierna.com), um dos mais luxuosos da Espanha, cuja decoração inclui esculturas greco-romanas e quadros avaliados em 1,5 milhão - peças da coleção particular de Ricardo Arranz, o dono do hotel.

Foram dias mais tumultuados do que calmos para os funcionários do estabelecimento. Além da filha, acompanhava a mulher de Obama uma comitiva com mais de 40 pessoas. Ao todo, eles ocuparam cerca de 70 quartos, a um preço estimado em US$ 2,5 mil a diária, segundo registrou na época a rede CNN. Mas o que ninguém por ali esquece é do dia em que 24 mergulhadores vasculharam o fundo do mar para que Sasha pudesse entrar na água.

Iates e carrões. Atendimento exclusivo, serviços impecáveis e privacidade na hora certa são tudo o que os frequentadores de Marbella querem. Mas eles também gostam de ver e - principalmente - de serem vistos. Oras, mas para isso também há um lugar ideal: Puerto Banús.

Ali aportam muitos dos maiores e mais caros iates do mundo. Seus donos chegam à Andaluzia de avião, mas mandam trazer as embarcações da Califórnia, da Flórida, de Dubai, de Londres, de onde quer que seja, enfim, para a bordo delas curtirem os ensolarados dias de Marbella. Atracar ali requer reserva com bastante antecedência.

Mas a oferta de Puerto Banús não se restringe aos esportes náuticos. Nem poderia. Ali é também endereço de restaurantes, lojas de grife, cassinos, quadras de tênis e campos de golfe com vista para o mar.

E como não dá para se locomover de barco por terra, os veranistas também alugam Ferraris, Mustangs e Porsches. Estacionam as máquinas de frente para os iates e só aí podem se dedicar ao ócio.

Arqueologia. Não é de hoje, contudo, que Marbella vem sendo cobiçada. Vestígios arqueológicos encontrados na cidade e nos arredores resgatam a presença de fenícios, romanos e, claro, árabes na região. Um tour inusitado consiste justamente em contratar a empresa Arqueoguia (arqueoguia.es) e percorrer a pé os principais pontos de interesse do centro histórico.

O percurso leva da orla à Plaza de los Naranjos, no coração de Marbella, que concentra bares, restaurantes e também é o endereço da prefeitura. Edifícios renascentistas e a fortaleza árabe do século 9.º conformam um conjunto arquitetônico de beleza singular em que também estão representadas as clássicas fachadas da Andaluzia com suas varandas caiadas cobertas de flores. / F.V.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.