Mexa-se para amenizar dores durante o voo

Depois de longas horas de aperto na classe econômica, é quase inevitável a sensação de estar com o corpo moído. A coluna vertebral é a responsável pelo desconforto, explica o ortopedista Marcelo Wajchenberg, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). O próprio especialista, que tem mais de 1,90 metro de altura, sofre com a falta de espaço entre as poltronas. "Sei bem a diferença entre viajar na primeira classe, na executiva e na econômica. É preciso ter cuidado para não torcer a coluna."

Mônica Cardoso, O Estado de S.Paulo

30 Março 2010 | 01h51

Para amenizar o desconforto, o médico recomenda uma boa espreguiçada a cada hora. "É um ótimo exercício porque alonga todos os músculos, como se fosse um elástico. Deixar a musculatura contraída pode provocar cãibras dolorosas", ensina.

Se não houver espaço para você, digamos, se expandir na poltrona, tente pelo menos levantar e caminhar pelo corredor da aeronave a cada duas horas, para ativar a circulação sanguínea. Na sequência, estique os braços para frente e para trás. Faça, ainda, movimentos que exijam flexão do joelho. "O alongamento previne a trombose venosa profunda, que é a formação de coágulos nas panturrilhas", explica Wajchenberg.

Apoiar os pés em um suporte, para deixar o joelho dobrado e relaxar a musculatura da parte de trás da panturrilha, ajuda a aliviar a tensão. Ficar com os pés balançando prejudica em muito a circulação. E não se esqueça de alongar o pescoço ? algo que você pode fazer mesmo sentado: movimente a cabeça para a frente e para as laterais.

Escolher a roupa certa é outro fator determinante para ter um voo mais cômodo, garantem os especialistas. "Vista roupas e sapatos confortáveis", diz o ortopedista Alexandre Fogaça Cristante, do Hospital das Clínicas. Mesmo que o seu calçado tenha um modelo bem amigável, o mais interessante é ficar descalço enquanto o avião estiver nos ares. /

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.