Mexer o corpo

Ubatuba, São Paulo

O Estado de S.Paulo

29 Janeiro 2013 | 02h11

Em um dos points mais queridos dos surfistas no litoral paulista, Rildo Almeida Alves é quase uma lenda. Mas não adianta procurá-lo pelo nome: na praia de Itamambuca, onde vive há quase 30 anos, ele é o Morro Boy. Ficou conhecido assim por conta do lugar que escolheu para morar: uma casa no meio da mata no canto direito da praia, à qual se chega depois de subir por uma trilha de 200 metros.

E é com o apelido simpático e a experiência de quem pega onda desde adolescente que ele recebe os hóspedes do Itamambuca Eco Resort para aulas de surfe. Além de ensinar a se equilibrar na prancha, entender as ondas e o ritmo da maré, ele dá dicas dos melhores pontos e horários para surfar. A aula custa R$ 100 por pessoa e há mais dois instrutores, Aghata dos Santos e Nicolas Lopes, que também moram em Itamambuca e participam dos campeonatos locais. Mais informações: itamambuca.com.br. Diária desde R$ 398, para duas pessoas, com café.

Arraial d'Ajuda, Bahia

Durante seis horas e em grupos de apenas quatro pessoas, os hóspedes do Maitei Hotel (maitei.com.br; diária desde R$ 480, para dois) são guiados por um pataxó até a Aldeia Jaqueira, uma comunidade onde vivem 50 famílias dedicadas à preservação de tradições e cultura de seu povo.

O roteiro pode ter diferentes níveis de dificuldade e incluir

desde uma trilha leve de 40 minutos até outra de 2h30. Mas qualquer passeio inclui explicações sobra a vegetação encontrada pelo caminho, apresentações de dança típica da qual os turistas são convidados a participar e uma refeição com peixe preparado segundo os hábitos dos moradores da aldeia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.