Amanda Areias/Arquivo Pessoal
Amanda Areias/Arquivo Pessoal

Milhas e milhas

Foi por querer a liberdade de viajar no próprio ritmo e também por economia que Cesar Lopes e Amanda Areias elegeram o carro como transporte em sua primeira viagem de férias nos Estados Unidos, para onde se mudaram quatro anos atrás. Moradores de Deerfield, nos arredores de Chicago, foram a Memphis e New Orleans. Roteiro que, apesar de não ser exatamente curto, foi encarado como teste para as empreitadas bem mais ambiciosas que vieram em seguida.

MÔNICA NÓBREGA, O Estado de S.Paulo

28 Agosto 2012 | 03h09

O passeio serviu para o casal constatar que, sim, o país tem ótimas rodovias. A cultura das road trips - o popular pé na estrada, que virou nome de livro do cultuado Jack Kerouac, nos anos de 1950 e, agora, filme dirigido por Walter Salles (Na Estrada, 2012) - tem tanta força por lá pela excelente infraestrutura à disposição dos viajantes do asfalto. Para se ter uma ideia, o capricho chega ao cuidado de placas nos postos de combustível avisarem a distância até o próximo ponto para abastecer o carro. Há áreas de descanso com banheiros limpos. Sem falar nos motéis, tradicionais hospedagens para estradeiros, onde é possível conseguir um quarto por a partir de US$ 60, sem necessidade de reserva antecipada.

Isso mesmo em trechos mais selvagens como a região dos parques do sudoeste, nos Estados de Arizona e Utah, destinos da viagem seguinte da família. Reservas como Grand Canyon, Arches e Bryce Canyon foram destrinchadas de carro, com pernoites em acampamento, para alegria das duas filhas, na época, com 7 e 5 anos. Foram 7 mil quilômetros - ou cerca de 4,3 mil milhas, para usar medida local - de chão vencidos em um mês.

Ritmo de aventura. Mãe das viagens rodoviárias litorâneas, a Pacific Coast Highway, que percorre quase 1 mil quilômetros pela orla da Califórnia, será destino das férias da brasileira Silvia Maoski e amigos, daqui a duas semanas. O roteiro, a partir de São Francisco até San Diego, incluirá Las Vegas, Grand Canyon e Yosemite. A ideia é viver uma aventura completa: hospedagem reservada o grupo só tem mesmo no ponto de partida. Depois, contam com a sorte.

O que pode significar dormir fora e talvez um pouco distante dos limites dos parques, no caso dos populares Grand Canyon e Yosemite, onde as vagas em hotéis e campings esgotam com até três meses de antecedência na alta temporada. Algum planejamento, portanto, é recomendável.

Mas tais roteiros longos e badalados não são as únicas opções. Há muitas outras boas sugestões de estradas pelos Estados Unidos. A seguir, uma seleção de oito trechos interessantes (e curtos), feita por um time de repórteres cujo trabalho inclui constantes deslocamentos de carro em busca de notícias. Em comum, uma facilidade: todos podem ser feitos a partir de grandes cidades. / COM NYT, TRADUÇÃO DE AUGUSTO CALIL E CELSO PACIORNIK

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.