Jaime Bórquez/AE
Jaime Bórquez/AE

Miniveneza entre os fiordes

A experiência. Ano passado fui à Noruega para um cruzeiro pelos fiordes. Era outono, ainda não havia muita neve e eu não pude andar nos trenós puxados por cachorros. Tampouco vi geleiras. Os fiordes são como baías estreitas, repletas de pedras brilhantes e lagos cristalinos onde antes só havia gelo. Essa paisagem domina todo o trajeto de Bergen a Kirkenes.

Jaime Bórquez, em depoimento a Camila Anauate, O Estado de S.Paulo

16 Junho 2009 | 02h36

O sol só saía às 10 horas, mas às 16 horas tudo ficava escuro. À noite, por causa do vento, a sensação térmica chegava a 10 graus negativos. Motivo para se aquecer com Steinhaeger. E, depois, esperar a cortina de luzes da aurora boreal aparecer no céu.

As atrações. Alesund é uma pequena Veneza, com casinhas beira-mar, em estilo art nouveau. Trondheim, a primeira capital da Noruega, impressiona com sua catedral gótica. As cidades de embarque e desembarque, Bergen e Kirkenes, merecem dois dias de visita cada.

Veja também:

linkRoteiros em branco e azul

linkHIMALAIA - Everest visto de frente

linkSUÉCIA - Quarto que derrete no calor

linkCANADÁ - Show de cores

linkALASCA - Um verão repleto de blocos de gelo

linkCHILE E ARGENTINA - Na Patagônia selvagem

linkANTÁRTIDA - Entre icebergs e pinguins

 

Melhor época. Há cruzeiros pelos fiordes o ano todo.

 

Quanto custa. Rota de sete dias por partir de 8.785 coroas norueguesas (R$ 2.685), sem aéreo. Informações: http://www.hurtigruten.com/.

Mais conteúdo sobre:
ViagemNoruega

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.