Renato Luiz Ferreira / AE
Renato Luiz Ferreira / AE

Montevidéu

Capital uruguaia mistura história e cultura. Se tiver tempo, vá até Punta del Este ou Colonia

Daniel Lisboa, especial para o Estado, O Estado de S. Paulo

27 Outubro 2016 | 05h00

Conheça: Conhecer a Cidade Velha, com suas lojas, atrações gastronômicas e culturais, é o passeio básico de Montevidéu. Experimente começar pelo Mercado do Porto, onde amantes de carnes podem delirar vendo todas as partes do churrasco – inclusive os miúdos – sendo assadas bem ali na sua frente. Ainda no centro antigo, o domingo de manhã reserva a clássica Feira Tristán Narvaja. Na rua de mesmo nome, locais e turistas fuçam as barraquinhas e mesinhas cheias de quinquilharias, frutas, verduras e até bichinhos de estimação.

A Cidade Velha guarda também alternativas de passeios culturais como o Teatro Solis, o Museu Torres Garcia e o Museu Andes 1972, em homenagem às vítimas do acidente aéreo na cordilheira (sim, aquele do filme "Vivos"). Com exceção da feira, porém, é aconselhável evitar a Cidade Velha durante o fim de semana. O local fica ermo e aumenta o risco de assaltos.

Talvez você associe o Uruguai a um clima mais ameno. Mas o verão lá pode ser bem quente e, em Montevidéu, é em Pocitos que mais se desfruta a vida ao ar livre. Trata-se de um calçadão praiano com várias opções de bares e restaurantes como Bar 62, (Barreiro, esquina com Chucarro), Tranquilo (21 de Setiembre, esquina com Graseras) e Tabaré (José Zorrilla de San Martín, 154).

 

Não deixe de visitar: Vale conhecer o turístico, porém divertidíssimo, Baar Fun Fun, na Cidade Velha, com shows de tango e candombe, ritmo africano presente no Uruguai. Fica na Soriano 922, esquina com a Convención.

Considere também: Duas possibilidades de esticada são Punta del Este e Colonia del Sacramento. A 120 quilômetros a leste de Montevidéu, Punta é acessível de carro (mas um bate e volta pode ser cansativo) e de ônibus. São quase 40 saídas diárias por cerca de 272 pesos (R$ 30). Na badalada cidade-balneário, você encontrará a já consagrada (e cara) miríade de restaurantes, cassinos e baladas. O verão, claro, é o auge da temporada por lá, com sol até quase nove horas da noite e praias tomadas por locais, argentinos e brasileiros.

 No sentido oposto, a 180 quilômetros a oeste de Montevidéu, está Colonia del Sacramento. Curiosamente, a cidade é de certo modo o oposto de Punta del Este. Ao invés de agito e badalação, o visitante encontrará uma tranquila e agradável cidade colonial portuguesa com arquitetura semelhante as nossas aqui do Brasil. São mais de doze horários de saídas de ônibus ao dia a partir de Montevidéu, uma tarifa de 337 pesos (R$38). Se o bate e volta fica ainda mais cansativo que no caso de Punta, uma alternativa é fazer de Colonia uma parada para Buenos Aires. A cidade está exatamente no caminho e de lá saem os Buquebus (ferryboats) para a capital argentina.

 

Evite: Nas áreas mais turísticas, com as Ramblas, a orla de Montevidéu, ande com atenção – já houve relatos de batedores de carteira.

 

Economize: Sempre que possível, pague suas contas com cartão de crédito. O Uruguai tem um programa, estendido até abril de 2017, que dá uma série de isenções de IVA (Imposto de Valor Agregado) para serviços turísticos como diárias de hotel, restaurantes e locadoras de automóveis.

 

Saiba mais: www.barfunfun.com; www.cot.com.uy; www.buquebus.com  

Mais conteúdo sobre:
AméricasUruguaiMontevidéu

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.