Teresa Ribeiro/AE
Teresa Ribeiro/AE

Muito de oriente. Algo de São Paulo

A capital tem arranha-céus, trânsito e poluição, mas também belos templos e paz nos jardins

Teresa Ribeiro, O Estado de S.Paulo

30 Junho 2009 | 02h35

Dizem que Bangcoc lembra São Paulo - e não estão exatamente faltando com a verdade. Mas essa semelhança tampouco deve ser levada ao pé da letra. Em meio aos arranha-céus da capital tailandesa surgem belos templos dourados e jardins amplos, onde se ouve a mais relaxante música oriental.

A poluição é um problema nas duas cidades e em ambas o congestionamento atinge proporções monumentais, principalmente às sextas-feiras. Só que por lá o tráfego é animado por táxis coloridos (pink e azul-turquesa, inclusive) e pelos típicos tuc-tucs.

Em vez de ambulantes, as avenidas de Bangcoc têm bicicletas adaptadas para vender comida. Um pouco de tudo, diga-se: asa de frango frita, macarrão, doce de banana, pedaços de abacaxi...

Numa das esquinas mais movimentadas da cidade, a multidão ignora o horário do rush para rezar na famosa casa dos espíritos Erawan Shrine. Pessoas de todas as idades oferecem flores e acendem velas ao deus hindu Brama - o budismo tailandês se mescla com o indiano. Música e dança também fazem parte do ritual.

 

Veja também:

linkUm roteiro para ir além do óbvio

linkProve já

linkSeda, pedras preciosas e grifes internacionais

linkBalneário chique bem longe de Phuket

linkNo território dos elefantes

linkArquitetura em nome do sagrado

video Vídeo com imagens feitas durante a viagem à Tailândia

mais imagens Galeria de fotos da Tailândia

Mas os verdadeiros cartões-postais de Bangcoc são o Grande Palácio e o Templo do Buda Esmeralda (Wat Phra Kaeo), que fica no mesmo complexo. Construído em 1782, utilizando vários estilos, o palácio tem pavilhões cobertos de pedacinhos de azulejo e folhas de ouro. Uma obra de estarrecer.

No terraço superior do Wat Phra Kaeo, preciosidades religiosas e monárquicas. Lá estão Phra Si Rattana Chedi (templo de ouro), onde ficam as relíquias de Buda, o Phra Mondop, com as sagradas escrituras budistas, e o Panteão Real, no qual são exibidas imagens de antigos soberanos.

O local mais venerado é o templo Phra Kaeo. Ali fica o Buda Esmeralda, num trono de madeira entalhada recoberta de ouro, do qual ninguém pode se aproximar. Fotos, só do lado de fora. A escultura feita com uma só pedra de jade, de 60 centímetros, foi encontrada em 1934, dentro de um mausoléu em Chiang Rai, no norte do país.

ARTESANATO

Estimulado pela visita ao Grande Palácio, siga para o Museu Nacional de Bangcoc, que inclui em seu acervo peças da Idade do Bronze. Mas é no Ananta Samakhom Throne Hall, o antigo Parlamento, que você pode ver os tailandeses transformarem madeira e pedras em arte. São obras complexas, como miniaturas do trono real, feitas para comemorar os 60 anos de reinado de Bhumibol Adulyadej e seu 80º aniversário.

Grande Palácio: www.palaces.thai.net. Entrada a 250 bahts (R$ 14)

Museu Nacional de Bagcoc: www.thailandmuseum.com. Ingresso: 40 bahts (R$ 2,30)

Ananta Samakhom Throne Hall: www.artsofthekingdom.com. Por 50 bahts (R$ 2,90)

Mais conteúdo sobre:
ViagemTailândia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.