Multas: pagar ou esquecer?

Como saber que na Alemanha, em ruas estritas, você é obrigado a estacionar com duas rodas na calçada?

Mr. Miles, o homem mais viajado do mundo, O Estado de S.Paulo

10 Março 2009 | 01h49

Hospedado com um casal amigo, que acabou de abandonar a Bolsa de Londres e arrendou uma pousada em Lindos, na Ilha de Rhodes, nosso viajante tentou convencer Trashie a provar o melhor ouzo da Grécia (bebida à base de anis). "She's awful obstinate", contou-nos mr. Miles. "Whiskies com mais de 12 anos, single malts ou nada", lamentou. A seguir, a correspondência da semana:

Mr. Miles: aluguei um carro na Itália e recebi uma notificação de multa no valor de 18 euros, que já me foi debitada no cartão de crédito. Se eu receber uma multa internacional pelo correio, sou obrigado a pagar?

João Antonio Martinelli, por e-mail

"Well, my friend: a julgar pelo valor que você menciona, I'm sorry to say, mas você ainda não pagou sua multa de trânsito. A maior parte das locadoras de automóvel cobra uma taxa como essa apenas pelo serviço de notificá-lo de que o carro em questão foi autuado durante o período em que ele estava sob sua responsabilidade e, of course, notificar as autoridades, para que elas possam enviar a multa para sua casa. So... Bad news, isn't it?

Sobre pagar (ou não) uma penalidade contraída em qualquer outra nação do mundo, eu diria que it's up to you. Desde já deixo registrada a minha posição contra qualquer tipo de calote, mas sou obrigado a admitir que, em certos países do mundo, as regras de tráfego podem diferir daquelas às quais você está habituado. Na Alemanha, for instance, há ruas estreitas em que o motorista é autuado se não estacionar com duas rodas em cima da calçada - e é preciso dominar brilhantemente o delicado idioma de Goethe e Heine para decifrar uma placa com estas instruções. Do you know what I mean?

O fato, fellow, é que se você for multado, digamos, por excesso de velocidade no Tajiquistão e, well, não estiver em seus planos retornar para lá, será aceitável fazer vistas grossas para a penalidade. Não acredito que um comando tajique venha a persegui-lo no Brasil por essa razão. Já em outros países mais organizados e, indeed, mais atraentes, existe a possibilidade de que o não pagamento de uma multa de trânsito fique registrado forever. Em outras palavras: quando você desembarcar no destino novamente, em uma viagem de férias ou de negócios, o simpático burocrata de plantão poderá barrar sua entrada ou, em alguns casos, autorizá-la mediante o pagamento da infração devidamente ampliado pelos juros previstos em lei. As you say in Brasil: é mole ou quer mais?

É claro que você pode também apostar na desorganização do país em questão. Eu não diria que a eficiência chega a tal nível de sofisticação nem sequer em uma pequena parte das nações do mundo.

Anyway, believe me, my friend: o melhor que você tem a fazer é tentar conduzir cautelosamente, mesmo nesses estranhos países de mão contrária, como a França, os Estados Unidos e o próprio Brasil.

Um último conselho: caso você seja multado na Bélgica ou na Holanda, arrume logo um servicinho extra. Esses dois países, conhecidos como Baixos, têm as penalidades de tráfego mais caras do planeta. Na média, as 15 infrações de maior pontuação custam algo em torno de 1.600 euros (algo próximo de R$ 5 mil)! Each one, fellow, each one!!!"

*Mr. Miles é o homem mais viajado do mundo. Ele já esteve em 132 países e 7 territórios ultramarinos

Mais conteúdo sobre:
Viagem Mr. Miles multas trânsito

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.