Adriana Moreira/AE - 21/6/2008
Adriana Moreira/AE - 21/6/2008

Música, dança e oferendas ao Sol

Cuzco celebra, no dia 24, a festa do Inti Raymi, uma homenagem da civilização inca ao astro-rei

O Estado de S.Paulo

16 Junho 2009 | 02h35

Cuzco está em ritmo de festa. A antiga capital do Império Inca se prepara para celebrar, dia 24, o Inti Raymi (Festa do Sol, em quíchua), uma das manifestações culturais mais tradicionais do Peru. Um motivo a mais para visitar a bela cidade nesta época: o tempo seco favorece a visita à cidadela de Machu Picchu, a 3 horas de distância, de trem.

O festival é dedicado ao deus Sol, criador do universo. A data foi escolhida porque marca o solstício de inverno, período em que o astro está mais distante da Terra. Os incas temiam que, nesta data, o Sol abandonasse o planeta para sempre e decidiram, então, homenageá-lo em um grande evento. Durante a festa, eles aproveitavam para pedir calor, alegria e boa colheita.

A tradição foi mantida e o Inti Raymi é celebrado sempre em 24 de junho. A encenação ocorre pelas ruas de Cuzco, seguida por milhares de turistas.

A concentração é no Templo do Sol, a partir das 9 horas. Todos seguem depois para o palco principal da festa, a Plaza Mayor, onde grupos folclóricos, escolas da cidade e artistas realizam performances. Mas a representação mais simbólica ocorre à tarde, na Plaza Sagrada de Sacsayhuaman, a dois quilômetros de Cuzco.

Sacsayhuaman é uma antiga fortaleza militar, com pedras de até 5 metros de altura. Lá, o imperador realiza uma cerimônia de 90 minutos para pedir colheitas fartas e oferecer sacrifícios ao Sol, como o coração de uma lhama. Sites: www.peru.info e www.emufec.gob.pe.

Mais conteúdo sobre:
Viagem Peru Inti Raymi

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.