Na hora de pagar

As redes sociais de cama & café atendem bem o viajante que quer ver a

O Estado de S.Paulo

20 Julho 2010 | 04h05

cidade com olhos de quem vive nela. E estão estruturadas a ponto de contar com descrições detalhadas dos quartos ou apartamentos disponíveis para locação, com fotos e resenhas de ex-hóspedes. Quanto ao pagamento, há variados sistemas para garantir a segurança do locatário. Conheça algumas alternativas encontradas pelas comunidades virtuais.

1 Prazo de 24 horas

No AirBnB, o pagamento da hospedagem é feito por cartão de crédito. Mas o site segura o valor durante 24 horas para que o hóspede tenha tempo de conferir se tudo está como prometido no apartamento ou quarto alugado. Caso encontre algum problema e desista da estada, basta pedir estorno.

2 Só com o código

O mais seguro e cômodo dos sistemas de pagamento das redes sociais foi criado pelo iStopOver. Ao confirmar a reserva, o hóspede faz o depósito do valor integral e recebe um código. Que só ele mesmo pode revelar ao proprietário, quando chega ao apartamento, se estiver tudo OK.

3 Crédito-garantia

O número do cartão de crédito é sempre solicitado nas reservas feitas pelo Crashpadder.com - mesmo que o hóspede prefira pagar via PayPal ou em dinheiro na chegada. A exigência serve para o proprietário ter certeza de que você é você. E para evitar calotes.

4 Depende do proprietário

Um modelo de contrato é colocado à disposição de anfitriões e hóspedes no Homelidays.com. O site sugere que seja feito um depósito de 25% do total das diárias no momento da reserva. Mas há vários proprietários que aceitam pagamento integral na chegada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.