Nas irmãs Tate, o melhor da arte

 

ANA GASSTON, O Estado de S.Paulo

28 Fevereiro 2012 | 03h09

Abandonados por 30 anos, dois enormes espaços circulares embaixo do famoso museu de arte moderna Tate Modern (tate.org.uk) serão reabertos no próximo verão. Construídos para armazenar o combustível usado na velha estação elétrica convertida em galeria, os tanques de óleo - com 30 metros de diâmetro e 7 de altura - vão virar palco para todas as artes. O programa de abertura faz parte do Festival London 2012 (festival.london2012.com) e deve incluir performances, filmes, intervenções e instalações artísticas.

A inauguração dos tanques conclui a primeira fase do bem-vindo projeto de expansão da galeria, que deve ficar pronto em 2016. Enquanto a reforma não acaba, vale a pena enfrentar a fila para ver mostras em cartaz durante a Olimpíada - caso das obras do norueguês Edvard Munch, autor de O Grito, e de esculturas como o tubarão suspenso em formol, criação do polêmico britânico Damien Hirst.

Também há como ver a coleção permanente do museu gratuitamente. Sugiro seguir um dos guias que apresentam os destaques de cada espaço de acordo com os movimentos de arte contemporânea. Reserve tempo para um café no Turbine Hall e para apreciar a Catedral de St. Paul e a Ponte do Milênio desde as sacadas ou do restaurante do último andar.

Falando em restaurante, aqui vai uma dica bacana que deve sair mais em conta. A cinco minutos a pé da Tate Modern há um restaurante latino fantástico. O destaque do menu do El Vergel (elvergel.co.uk) é o churrasco queso, um sanduíche de steak servido em um delicioso pão chileno preparado ali.

Tate Britain, a irmã mais velha da família Tate, está a 13 minutos de barco. O Tate Boat, o jeito mais rápido de chegar lá, parte a cada 40 minutos e passa por Embankment, onde estão a London Eye e o Parlamento Inglês.

Lá serão exibidas nada menos que 150 fotos de Londres de pesos pesados como Robert Frank, Henri Cartier-Bresson e Bruce Davidson. A galeria funciona até tarde toda sexta-feira, quando nas Duveens Galleries é servido vinho e os visitantes podem circular em certos espaços com a taça nas mãos. Algumas noites são temáticas, com performances ao vivo, exibição de filmes e música. Não há melhor jeito de começar o fim de semana.

* É jornalista, paulistana e vive em Londres há 10 anos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.