Vitor Hugo Brandalise/AE
Vitor Hugo Brandalise/AE

Nas praias, lugar para esportistas e preguiçosos

É possível percorrer em um só dia boa parte das 37 faixas de areia do litoral, com espaço para todo tipo de banhista

Vitor Hugo Brandalise, O Estado de S.Paulo

09 Março 2010 | 02h54

Numa ilha movimentada e com boa estrutura turística, opções de passeios e esportes radicais não faltarão. Ainda assim, quando se trata de Caribe, a ideia de passar o dia simplesmente esticado numa espreguiçadeira, nos intervalos entre bons mergulhos, soa bastante agradável. E por que não se render à tentação? São 37 praias diferentes para escolher, com distâncias mínimas entre elas e espaço para todo perfil de banhista.  

Num só dia é possível visitar diversas faixas de areia. Partindo da zona hoteleira, no lado holandês, chega-se, numa caminhada de 10 minutos, a Mullet Bay, de águas calmas e areia fina, preferida por casais e famílias. Ali, é possível alugar cadeira e guarda-sol (US$ 10 ou R$ 18) e se jogar no mar de temperaturas entre 24 e 26 graus.

 

Mais à frente, ainda do lado holandês, está a belíssima Cupecoy Beach, praia de falésias cujas formações rochosas parecem esculpidas para dar sombra a quem quer descansar após um banho de mar. Tem-se, então, um guarda-sol natural, feito de pedra. Nesse ponto, o oceano é de um verde tão intenso que a água parece mais grossa, como se fosse impenetrável - até o primeiro mergulho, quando se percebe que a definição cristalina, mais uma vez, cabe perfeitamente.

  

 Selo-Verao

Veja também:

linkBoas compras em um duty free a céu aberto

linkFrança e Holanda num só Caribe

Para quem curte esportes radicais, as praias ao longo de Simpson Bay, já a caminho da capital holandesa, Philipsburg, são as mais indicadas. Ali é possível conseguir equipamento para caiaque e snorkeling (US$ 49 ou R$ 87 para 1h30 de atividade). O passeio pode terminar no calçadão ao longo da orla da Great Bay, onde há diversos bares e restaurantes.

Pelas praias francesas, do outro lado da ilha, comece o passeio em Marigot, onde reina um clima mediterrâneo, com marinas de onde partem barcos para ilhas próximas, como Anguilla e Saint Barthélemy. Uma das praias preferidas dos turistas, Orient Beach, fica a 15 minutos dali. No canto direito da praia, o hotel naturista Le Galion dá, em seu slogan, o tom do lugar: "nada é melhor".

Há pelo menos nove pontos indicados para snorkeling nas praias, onde é possível observar cardumes coloridos entre barcos e navios naufragados. O melhor trecho para colocar a máscara e descer o quanto conseguir - em baías de águas mornas e com profundidades de até 6 metros - é a Simpson Bay, onde três embarcações podem ser avistadas. Perto dali, na Praia de Kimsha, a diversão é alimentar os peixes que, acostumados com a presença humana, rodeiam o mergulhador.

A empresa TriSport oferece pacotes com esportes náuticos, como caiaque, para chegar aos pontos de mergulho. O passeio custa US$ 49 e dura aproximadamente 1h30.

Apesar de pequena, a ilha também guarda algumas preciosidades pouco frequentadas e conhecidas, como as Baías Longue e Aux Prunes, com acesso exclusivo por vielas. Casais nativos escolhem essas praias, semidesertas e de areia fina, para assistir ao pôr do sol. Nada impede, neste caso, que turistas bem informados sigam o mesmo caminho no fim da tarde, na trilha de quem melhor conhece aquelas praias.

 

Veja os preços de pacotes para Saint Martin, no Caribe

 

Mais conteúdo sobre:
Caribe Saint Martin Verão 2010

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.