Natureza abundante para curtir em família

Como é bonita a paisagem. Não só a da janela do Grande Hotel de Termas de Chillán, mas cada cantinho dos arredores, cada brecha no meio do bosque nevado, cada curva das 33 pistas tem seu charme. Completamente pontilhado entre árvores, talvez seja o centro de esqui chileno mais cercado de natureza. Coincidência ou não, a tranquilidade impera por aqui. Comprove isso fazendo um tour de reconhecimento com raquetes nos pés, boa maneira de se ambientar.

CHILLÁN , O Estado de S.Paulo

16 Julho 2013 | 02h12

Famílias numerosas se espalham pelos sete andares do hotel e seus anexos. Todos encontram o que fazer, seja na neve ou fora dela. Para crianças de 3 a 6 anos, o Jardim de Neve oferece não apenas aulas, mas jogos e todo um sistema próprio de familiarização com a neve. Se esfriar demais ou em caso de nevasca, os pequenos têm uma casinha aquecida com chocolate quente no ponto. Já o Clube de Montanha reúne uma equipe de recreadores com atividades ao ar livre para quem tem de 7 a 15 anos, além de sala de jogos com videogame e jogos de tabuleiro.

Mas é claro que a principal atração está do lado de fora: Chillán conta com mais de 30 pistas. Ali, arrisquei-me numa aula de snowboard (US$ 60). Munido de paciência monástica, o instrutor Rodrigo explicou os princípios e posições básicos. Após duas horas de prática, já não temia (nem tremia) tanto ao deslizar na pista dos novatos, me sentindo bem à vontade. E nada de desanimar ao ver crianças de 10 anos com muito mais intimidade que você sobre a prancha, ok?

Menu completo. Quando estiver cansado de esquiar, a piscina termal é puro relax. O elevador leva à área coberta - você passa para o lado de fora por dentro da água. Uma delícia!

Para quem prefere um pouco mais de emoção, o passeio de trenó puxado por cachorros não decepciona. Trazidos do Canadá, os belos bichos são uma mistura de lobo com cão e lembram muitos os huskies siberianos. Custa US$ 25.

Outra opção é a moto de neve (preço US$ 25) - o tour, de 20 minutos, cruza estradas e bosques dos arredores. Agasalhe-se ainda melhor, pois o vento judia bastante. Mas a paisagem faz valer o sacrifício.

Tanto esforço, logicamente, dá fome. No refinadíssimo restaurante El Montañés aceite as harmonizações propostas pelo maître e vá do mar - começando com as ostras five ways (13.800 pesos ou R$ 61) - à montanha, com a coxa de cervo em molho de frutas vermelhas sobre batatas ao forno (42.500 ou R$ 188). Esplêndido. / F.M.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.