Natureza em quatro versões surpreendentes

Nosso roteiro pelos parques nacionais americanos começou no famoso Yellowstone. E seguiu, entre gêiseres, trilhas e lagos vulcânicos, por reservas menos conhecidas, mas não menos deslumbrantes

Nívea Terumi, O Estado de S.Paulo

10 Novembro 2009 | 01h51

O que Barack Obama tem em comum com Zé Colmeia e Catatau? Eles ficam admirados com as explosões do gêiser Old Faithful, o mais famoso do Parque Nacional Yellowstone, no centro-oeste americano. "Isso é muito legal", ouviram o presidente sussurrar à família, três meses atrás, quando o velho gêiser começou a cuspir jatos de água quente e vapor.

 

AQUARELA - Bactérias são as responsáveis pelos vários tons da Grand Prismatic Spring

Visitar o Yellowstone é uma experiência única, não só porque esse foi o primeiro parque nacional do mundo, criado em 1872. O lugar é tão grande que leva em seu endereço três Estados: Wyoming, Montana e Idaho. Concentra 75% de todos os gêiseres e fontes termais dos Estados Unidos, distribuídos em 9 mil quilômetros quadrados. As paisagens parecem pintura, com bisões, lobos, ursos e todos os tipos de pássaros num cenário em que faltam as palavras.

 

Veja também:

linkÀ noite, a pedida é acampar

linkPiscina vulcânica

linkArriscado encanto de uma erupção recente

Como se isso não fosse suficiente, é mais do que amado pelos seus conterrâneos. Fica sempre nas primeiras posições quando o ranking diz respeito às atrações mais importantes do país na visão dos próprios americanos. Talvez por isso atraia todos os anos 3 milhões de visitantes.

 

NO LIMITE - Tenha uma das melhores visões do Grand Canyon local a partir do mirante da sensacional Lower Falls

Por sorte, esse currículo não transformou a área em uma atração estanque, como se poderia supor. Ao contrário. Para ter uma leve ideia, visite o site do parque, com vários filmes e uma câmera que exibe a fúria do Old Faithful 24 horas.

O cheiro característico da atividade vulcânica - similar a ovo cozido - e o calor que sai do chão são as pistas para buscar os gêiseres. É claro que eles estão sinalizados e não há risco de se assustar com uma poça borbulhante. Mas é intrigante notar como eles estão espalhados por toda parte, quase inofensivos. Quase, pois alguns liberam gases tóxicos, que podem causar enjoo e tontura. Percorra as trilhas, tire fotos, mas não fique muito tempo perto deles.

Há regras também para não colocar em risco a fauna local. Antigamente, visitantes se divertiam alimentando ursos e outros animais. Acostumados com comida de gente, os bichos passaram a subir nos carros e entrar nas barracas de camping em busca de um snack fácil (lembra do que o Zé Colmeia fazia?). Não é o que acontece hoje. E parece que ambos - donos da casa e turistas - estão adaptados.

 

VElHOR GÊISER - O Old Faithful dá seu show a cada 90 minutos, em média, com direito a plateia e transmissão pela internet

INVESTIMENTO

Embora sempre tenham atraído a atenção dos estrangeiros, os roteiros pelos parques nacionais estavam em baixa entre os americanos. Tanto que, juntas, as operações dessas áreas passaram a acumular déficit anual de US$ 600 milhões. Mas a situação começou a se inverter em 2009. Em parte, como efeito da crise econômica, que deixou os americanos mais distantes de destinos internacionais e mais perto das atrações locais (visitar um parque é baratíssimo). E o incentivo de Obama ajudou (leia mais no quadro ao lado).

O órgão do Departamento do Interior - o National Park Service -, responsável pelos 391 parques nacionais, prevê para 2010 um aumento de US$ 100 milhões nos investimentos, de um orçamento que pode ultrapassar os US$ 3 bilhões. As verbas vão continuar a entrar até 2016, quando será comemorado o centenário da instituição.

Sem dúvida, vai ficar mais interessante conhecer tanto os parques consagrados - caso de Yellowstone, Grand Canyon (Arizona) e Yosemite (Califórnia) - quanto os menos famosos. Acabamos de voltar de um tour por três desses pouco conhecidos, Crater Lake (Oregon), Saint Helens e Monte Rainier (ambos no Estado de Washington). E contamos tudo nas próximas páginas.

 

PAPAI OBAMA

Em agosto, papai Obama, mamãe Michelle, Sacha e Malia estiveram em Yellowstone. E adoraram. Segundo o The New York Times, o presidente quer estimular os americanos a elegerem os parques do país como próximo destino de férias

 

NA INTERNET

linkYellowstone mantém uma câmera filmando Old Faithful 24 horas. Confira o gêiser em atividade:

www.nps.gov/PWR/customcf/apps/stream/stream.htm?parkcode=yell

 

linkNós também já visitamos o Grand Canyon (Arizona) e o Parque Yosemite (Califórnia). As reportagens e fotos estarão disponíveis hoje no blog do Viagem. Acesse: www.blogs.estadao.com.br/viagem

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.