Nelspruit é a portaria do safári

Você terá de passar por lá para realizar o sonho do Kruger Park

Daniel Brito, Especial para O Estado

15 Dezembro 2009 | 02h13

Quem vai a Nelspruit sai de lá com uma dúvida cruel: qual fruta extraída da região é a mais doce, banana, manga, melão ou abacate? Vai do gosto de cada turista. Sorte de quem tem a oportunidade de ir à cidade, a 330 quilômetros de Johannesburgo.

 

EM MEIO AO VERDE - Natureza leva o crédito pelas principais atrações,

das frutas (doces como você não imagina) ao passeio entre os animais selvagens

VEJA TAMBÉM:
Com vocês, a seleção titular
Roteiro canarinho
Jo\'burg, a São Paulo deles
Praia no resort e aventura na savana
\'Inglesa do interior\' vai virar megalópole
Tribos e cavernas na cidade dos baobás
Mar e sol? Vá para Durban
Bloemfontein, pit stop seguro

História e lazer em Port Elizabeth

 

Cidade do Cabo e da esperança

Deliciosa rota dos vinhos
Kruger, um exagero
Aproveite para dar uma esticadinha
Nelspruit, terra das frutas e do Festival Innibos (www.innibos.co.za) - que reúne mais de 400 artistas de música, teatro e dança -, é conhecida por ser a porta de entrada para o Kruger Park, o mais famoso safári do continente. Organizado, seguro e com excelente infraestrutura. Lojas de turismo estão espalhadas em toda e qualquer esquina, oferecendo passeios até a reserva.

A cidade também fica a pouco mais de 100 quilômetros da fronteira com Moçambique. Agências de aluguel de automóveis se instalaram ao longo da Avenida Louis Trichard, que leva até o país vizinho. De Nelspruit pode-se ir até a bucólica Suazilândia, cuja capital, Mbabane, está a 175 quilômetros. Visite, ainda, o Jardim Botânico Lowveld, a dois quilômetros da cidade. A região "guarda" dois rios (Crocodile e Nels) e flora rica e preservada, inclusive baobás, árvore símbolo do país. Agências de turismo: www.lowveld.co.za e www.danaagency.co.za.

ONDE FICAR

Nelspruit atrai público diversificado. Desde casais de idosos em busca de um safári seguro no Kruger Park até jovens hippies, ávidos por contato com a natureza selvagem. Para hospedagem, há hotéis como Utopia in Africa (www.utopiainafrica.co.za), que fica praticamente dentro de uma reserva ambiental. A diária custa o equivalente a pouco mais de R$ 200. Há também o charmoso albergue Funky Monkey Backpackers (www.funkymonkey.co.za), com lareira, piscina, quartos espaçosos, bar e possibilidade de agendamento de passeios a preços mais baratos. Paga-se cerca de R$ 15 por noite em quarto quádruplo.

COMPRAS

A paixão sul-africana por shopping vai até Nelspruit. Na verdade, vai além. Cinco quilômetros depois da cidade há o Riverside Mall (www.riversidecentre.co.za), maior centro de compras da região. Com 150 lojas, é a atração dos moradores. No centro, tem a galeria Promenade, com lojas baratas e fast food.

MUST SEE

Alugue um carro com tração nas quatro rodas em Nelspruit e siga, antes das 5 horas, para o portão do Kruger. Um dia inteiro no parque custa o equivalente a pouco mais de R$ 50 por pessoa. Leve binóculo, câmera, óculos de sol e casacos. Faz um frio desconcertante na manhã da savana. Tem também o Sabi Sabi, um dos mais luxuosos lodges da região do Kruger. Seu safári é singular, com grande possibilidade de se ver famílias de leões na savana. (www.krugerpark.co.za e www.sabisabi.com). Outra opção de passeio é visitar Kaapsehoop (www.kaapsehoop.com), cidade histórica a 25 quilômetros de Nelspruit, perto da Cordilheira Makonja. Lá estão as mais antigas formações rochosas do planeta.

ESTÁDIO

Mais de 1.500 homens trabalharam por quatro anos na construção do Mbombela Stadium, cuja capacidade total é de um quinto da população de Nelspruit (230 mil habitantes). Investimento muito alto. Ainda mais para um estádio que só receberá jogos de segundo e terceiro escalão, caso de Austrália contra Sérvia e Coreia do Norte contra Costa do Marfim.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.