NOITEy

Contrariando o mandamento carnívoro que normalmente reina quando se fala em Argentina, arrisque um jantar no Little Rose (Armenia, 1.672), intimista e competente restaurante japonês em Palermo. Peça a porção de norimakis, uramakis e niguiris (115 pesos ou R$ 44, por 20 unidades), preparados com peixes fresquíssimos.

O Estado de S.Paulo

14 Maio 2013 | 02h11

Antes ou depois, passe pelo descolado e secreto Frank's Bar (foto). Porém, não ouse ir sem saber a senha para entrar. Inspirado nos Estados Unidos dos anos 1920, em plena Lei Seca, o bar faz questão de filtrar a entrada - pelo charme e para selecionar o público - trocando a senha semanalmente.

Cheguei até a porta e, entre dentes, o segurança me perguntou a palavra secreta. Respondi "John Keynes" (economista britânico, 1883-1946) e ganhei a contrassenha, que deveria ser digitada numa cabine telefônica. Escutei um forte barulho e a porta, no fundo falso da cabine, se abriu. Depois de um corredor escuro, cheguei ao salão. Ali, são servidos drinques caprichados, como o Fix, que leva gim ou vodca com açúcar, limão e frutas vermelhas (70 pesos ou R$ 27). Depois da 1 hora da manhã, o clima esquenta e DJs fazem qualquer espaço vago entre os aconchegantes sofás virarem pista de dança.

Como descobrir a senha? Seguir as pistas na página do bar (facebook.com/FranksBar.ar) é um bom começo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.