Nos domínios do conde Vlad

Seguimos na Romênia os passos do nobre cruel, fonte de inspiração para Drácula. Leia, se tiver coragem

Marcela Spinosa, O Estado de S.Paulo

27 Outubro 2009 | 02h39

Vlad Tepes definitivamente não foi um personagem popular - para resumir a história, ele serviu de inspiração para ninguém menos que o Drácula, de Bram Stoker (1947-1912). O conde de carne e osso não tinha o poder de sair voando em busca de sangue, mas praticava maldades inimagináveis. A principal era atravessar o corpo dos inimigos de alto a baixo (ou vice-versa), usando lanças afiadas.

 

RESQUÍCIOS – No alto, show no Club Count Dracula; à esquerda, e corredor da Corte Velha; à direita, retrato de Vlad Tepes no sobrado onde ele nasceu, em Sighisoara

Pois saiba que os cenários desse filme de terror da vida real ainda estão lá, na Romênia, para quem tiver coragem de entrar nos domínios de Vlad. Ainda mais agora, com a proximidade do Halloween, no sábado.

CASA

O sobrado onde Vlad nasceu, em 1431, no centro histórico de Sighisoara, na Transilvânia, funciona hoje como museu de armas medievais e restaurante. A Casa Dracula serve a receita típica romena, o mici, croquete feito com três tipos de carne, acompanhado de salada. A torre do relógio fica ao lado. Suba até o topo para ter uma panorâmica da cidade antiga.

Para ir: Rua Cositorarilor, 5. De terça-feira a domingo, das 10 horas às 15h30.

PRISÃO

Em 1462, o futuro conde Drácula ficou dois meses preso no Castelo Bran, após ser capturado pelo rei Matei Corvin, da Hungria. Construída a partir de 1377, a fortaleza medieval, a 30 quilômetros de Brasov, foi também residência da família real romena, já no século 20. Peças da época estão expostas no local, que tem ainda uma árvore genealógica da família de Vlad Tepes. No castelo também é possível conhecer a história do livro, entender como surgiu o mito dos vampiros e passear por uma passagem secreta usada pelos habitantes quando o perigo se aproximava.

Para ir: a entrada custa 12 leus (R$ 7,27), mais 10 leus (R$ 6) para fotografar. Mais: http://www.brancastlemuseum.ro/.

FORTALEZA

Na capital da Romênia, o conde Vlad construiu, em 1459, a Corte Velha (ou Curtea Veche), toda de pedra. Trata-se do monumento feudal mais antigo de Bucareste, lar dos governantes durante dois séculos. Ampliada com o tempo, a propriedade tem hoje 25 mil metros quadrados - apenas três corredores de pedra e a área externa, onde ficavam os mercadores, estão abertos a visitas.

Para ir: entrada a 1 (R$ 2,60). Fica na Estrada Smârdan, no centro antigo.

RESTAURANTE

Se há um lugar na Romênia onde a lenda dos vampiros é levada ao pé da letra, este lugar é o Club Count Dracula. O restaurante, também na capital, é dividido em três ambientes aterrorizantes. No Transilvânia Room estão máscaras assustadoras. Gatos selvagens e lobos recobrem as paredes do Hunting Saloon. Por fim, um retrato de Vlad Tepes em pessoa decora a Sala Medieval.

Para completar o clima, as mesas são servidas por garçons-vampiros e o próprio conde Drácula faz uma espécie de show, às terças e às sextas-feiras, por volta das 21h30. Ah, sim, a especialidade da casa é carne vermelha, bem vermelha.

Para ir: Boulevard Independência, 8A, em Bucareste.

Mais conteúdo sobre:
Viagem & Aventura Halloween Drácula

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.