Nos passos de Barack Obama

 

10 Novembro 2010 | 10h00

 

 

A popularidade do presidente americano até pode andar em baixa. Mas o turismo em Chicago só ganha com a imagem de Barack Obama. Desde que ele se mudou para a Casa Branca, em Washington, o Hyde Park, bairro onde começou sua carreira política, virou atração.

 

Aliás, muitas empresas aproveitaram a fama do 44º presidente dos Estados Unidos para criar roteiros pelo Hyde Park. O bairro arborizado, de diversidade racial e mansões, fica perto da Universidade de Chicago. Ali vivem ricos americanos de origem africana e professores menos abastados, interessados nas boas lojas de vinho e nas muitas livrarias universitárias.

 

A casa de seis quartos e tijolos vermelhos onde morava Obama pode ser o ponto de partida. No número 5.046 da South Greenwood Avenue, é o endereço de maior prestígio. O Serviço Secreto e a polícia estão sempre por lá: foto só com muita sorte.

Mas, dali, há muito mais para ver e experimentar. Como a Cafeteria Valois, que prepara um dos pratos favoritos do presidente - ovos mexidos, hash browns (uma espécie de bolinho de batata frita picada) e salsicha (ou bacon, se você insistir). A receita acabou sendo rebatizada como Café da Manhã Obama.

 

Depois de comer, o turista talvez queira testar o corte de cabelo do barbeiro do presidente, por US$ 21. O Hyde Park Hair Salon é todo decorado com pôsteres do time de futebol americano Chicago Bears e de outra lenda que morou no bairro, o boxeador Mohamed Ali.

 

Para sentir o clima multicultural do Hyde Park, um bom lugar é a 57th Street. Das prateleiras da 57th Street Books (no número 1.301 da rua), frequentada por muitos acadêmicos, às pizzas do Medici, restaurante italiano onde Malia e Sasha Obama, filhas do presidente, deram algumas festinhas. A camiseta com a inscrição "Obama come aqui" está à venda por US$ 18.

 

Os turistas que gostam de arte provavelmente vão ficar algum tempo admirando a arquitetura neogótica da Universidade de Chicago. E passeando entre os experimentos do Museu da Ciência e da Indústria. Mas não sem antes fazer uma parada estratégica bem no meio do caminho entre esses dois ícones.

No número 5.757 da South Woodlawn Avenue está a famosa Casa Robie, grande exemplo da arquitetura modernista, assinada por Frank Lloyd Wright - arquiteto que projetou, entre outros prédios, o Museu Guggenheim de Nova York.

 

Tours. Quer passar pela maioria desses highlights de bicicleta? A Chicago Tours tem um roteiro de quatro horas de duração, que ainda inclui parada para almoço na lanchonete preferida de Obama. Custa US$ 54,45. A mesma rota pode ser percorrida a pé, com a ajuda do audioguia narrado por profissionais do Obama in Hyde Park - o download sai por US$ 9,99.

 

 

 

 

Palco histórico

Políticos e gângsteres

 

John F. Kennedy estava lá quando teve de voltar às pressas a Washington para anunciar o bloqueio naval a Cuba, durante a Crise dos Mísseis, em 1962. Mas o Renaissance Blackstone Hotel ficou mesmo famoso por ter sido o local da primeira convenção gângster. Em 1923, chefões de Chicago, Nova York e Los Angeles se reuniram no Crystal Ballroom para modernizar a máfia. Hoje, pode-se visitar os ambientes, que se mantêm como há cem anos.  

 

 

Veja também:

link Reflexo moderno

link De museus a prédios históricos, cinco atrações imperdíveis

blog Blog. Dicas e bastidores das viagens da nossa equipe

blog Twitter. Notícias em tempo real do mundo turístico

 

 

Mais conteúdo sobre:
Barack Obama Chicago viagem máfia Robie

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.