TV Estadão | 04.08.2015
TV Estadão | 04.08.2015

DESTINOS, ROUPAS E DICAS PARA QUEM QUER ESQUIAR NAS FÉRIAS

“Vamos mulher, vamos. Grita, mas freia”, dizia em tom firme o instrutor italiano Cristiano Pizzi, professor de esqui há 28 anos em Aspen, nos Estados Unidos, e há 15 também na estação de Las Leñas, na Argentina. Como principiante, ficar em pé sobre os esquis sem perder o equilíbrio já era uma vitória e tanto.

Bruna Toni, O Estado de S. Paulo

04 Agosto 2015 | 10h00

A temporada para visitar as estações do Hemisfério Sul começou no início de julho, mas vai até o fim de setembro – o melhor mês na América, segundo Daniel Rodriguez, diretor da escola de esqui de Las Leñas: “A região da Cordilheira dos Andes fica ainda mais bonita, a temperatura é mais agradável e tem neve”.

Para quem nunca esquiou ou andou de snowboard, porém, a saga começa muito antes das manobras. Confira as nossas dicas aqui - com sugestões de destinos, um comparativo de roupas e equipamentos que você vai precisar e um vídeo que dá o gostinho do que é deslizar em Las Leñas, na Argentina. 

Mais conteúdo sobre:
esqui snowboard Argentina Las Leñas

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

Bruna Toni, O Estado de S. Paulo

04 Agosto 2015 | 10h20

Quatro respostas rápidas para perguntas essenciais sobre uma estação de esqui:

O QUE FAZER EM UMA ESTAÇÃO?

O foco principal, claro, é deslizar sobre esquis ou no snowboard. Para esquiadores iniciantes, vale a pena investir em aulas – considere ao menos duas particulares para desenvolver confiança. 


Em todas as estações há pistas divididas, normalmente, em quatro categorias, de acordo com o grau de dificuldade. O que muda é que cada destino pode ser mais favorável a quem nunca esquiou, como Las Leñas, na Argentina, onde há uma pista de 1,5 quilômetro com descidas leves, perfeita para aprendizes. 


Em uma semana é possível migrar das pistas mais fáceis para as mais avançadas, segundo instrutores. Mas se você não chegar lá, como esta repórter, não tem problema. Segundo Nestor Apraiz, um caçador de invernos que, aos 75 anos, divide seu tempo entre as pistas de Las Leñas e Bariloche, na Argentina, Estados Unidos e Suíça: “Esquiar é como andar de bicicleta. Uma vez que se aprende, nunca mais se esquece”.


Mas há outras maneiras de curtir além dos esquis. Em Termas de Chillán, no Chile, por exemplo, há passeios de trenós puxados por cães. Bariloche tem um centrinho simpático, repleto de lojinhas e restaurantes e vários passeios alternativos, como aos mirantes do Circuito Chico e o tubing (descida com boias). Em Las Leñas, dá para se divertir no esquibunda, queimar calorias nas caminhadas com raquetes nos pés e encarar uma tirolesa. 


QUALQUER UM PODE APRENDER?

Lá vinha uma fileira interminável de meninos e meninas cujas alturas não passavam da minha cintura. Desciam sem bastões montanhas muito mais altas do que as que eu me atrevi a descer. Ao mesmo tempo, o instrutor Pizzi, já na casa dos 60 anos, mantinha uma agilidade sobre os esquis muito maior do que a do grupo de alunos de 30 e poucos anos. Ou seja: sim, qualquer um pode aprender. 


ROUPAS E EQUIPAMENTOS: COMPRAR OU ALUGAR?

Passar frio não é uma opção. Nas estações de esqui, as temperaturas descem facilmente abaixo de zero, mas quando sai o sol durante uma aula, acredite: você sentirá calor. Por isso, vista-se em camadas. Nos pés, calçados impermeáveis e meia térmica são fundamentais. Gorro, luva, cachecol, óculos e protetor solar, também.

Quanto aos equipamentos (esquis, bastões, prancha de snow e botas), o ideal para quem está começando é alugá-los nas próprias estações. Em algumas delas é possível alugar também jaquetas e calças próprios para o esporte, mas faça as contas: pode ser mais vantajoso comprar.

COMO SE PREPARAR?

Confesso: subir no primeiro dia um pequeno trecho da montanha com os esquis nos ombros não foi fácil. Neste momento, ter algum preparo físico faz diferença, claro. Mas a dificuldade também vem da altitude. A base de Valle Nevado está a 3 mil metros; a de Las Leñas, a 2.240 metros. Para se aclimatar, o ideal é não fazer muito esforço no primeiro dia, tomar muito líquido (se for quente, melhor) e evitar bebidas alcoólicas. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estado de S. Paulo

04 Agosto 2015 | 10h30

ARGENTINA


Las Leñas (Mendoza)
Com 32 anos, a estação de Las Leñas tem se aperfeiçoado na arte de receber esquiadores do mundo todo, entre iniciantes e desbravadores que buscam o fora de pista graças à qualidade de suas pistas e neve. Para os primeiros, além das aulas, uma superfície de 1,5 quilômetro com descidas leves, perfeita para dar os primeiros passos sobre os esquis. São ao todo 30 pistas, três delas ideais para experts, e 14 meios de elevação. Além de seus cinco hotéis, apartamentos e chalés, há um novo hostel na estação, ótimo para quem tem o orçamento reduzido e/ou vai sozinho. Há a possibilidade de esquiar à noite, fazer piquenique sobre os flocos brancos e andar de tirolesa e esquibunda em um parque de aventura e terminar o dia na balada. Quer ver mais? Assiste ao vídeo que fizemos por lá. Site: laslenas.com

Chapelco (Província de Neuquén)

Cercada por bosques, inaugurou um meio de elevação quádruplo, para se somar aos 11 existentes, e ampliar a área esquiável. Chapelco possui mais de 28 pistas para quem nunca esquiou e para os mais experientes e está localizada em San Martín de Los Andes, cidade a duas horas de voo de Buenos Aires. Entre as atividades extras oferecidas estão o esqui nórdico, a caminhada na neve com raquete e o passeio em moto. Site: chapelco.com

A cidade portuária "do fim do mundo" atrai turistas à região da Patagônia durante todo o ano, mas a temporada para deslizar na neve vai até meados de outubro. Seu centro de esqui, Cerro Castor, fica a 26 quilômetros da cidade e conta com 30 pistas, oito restaurantes e uma escolinha infantil inaugurada em 2015. Outra novidade foi a abertura, em 2014, do Arakur Ushuaia Resort & Spa, com visão panorâmica do Canal de Beagle e de onde saem traslados para a estação. Em setembro, Cerro Castor será a primeira estação sul-americana a receber o Interski, o encontro internacional de instrutores. Site: cerrocastor.com

Cerro Bayo (Villa Angostura)

Para quem vai em família, a estação Cerro Bayo tem a facilidade de ser a mais próxima de uma cidade: são apenas 9 quilômetros até Villa Angostura, na Patagônia Argentina. Além disso, está entre dois outras importantes cidades “esquiadoras”, San Martin de Los Andes e San Carlos de Bariloche, o que pode ser ótimo para quem quer mais do que apenas esquiar. O local, que se auto-intitula “esqui boutique”, tem atividades no inverno e no verão, conta com 25 pistas e 16 meios de elevação. Há escola para aprendizes – a área para os iniciantes fica a 1.500 metros de altitude - e também a possibilidade de esquiar fora de pista para os mais experientes. No pico da montanha, o novo restaurante El Capricho serve pratos regionais diante de uma bonita panorâmica do lago Nahuel Huapi. Site: cerrobayo.com.ar

Cerro Catedral (Bariloche) 

Cerro Catedral, a mais famosa estação de esqui entre os brasileiros, começou sua história em 1936 e hoje conta com a maior estrutura entre todas da Argentina, além de ser considerada uma das 10 melhores do mundo. Mesmo em outras estações, é difícil encontrar quem, entre os mais velhos, não tenha começado a esquiar em Bariloche. Seu ponto alto é a grande variedade de atividades, que agradam até quem não quer esquiar, andar de snoewboard ou até mesmo deslizar na neve. Para 2015, por exemplo, a estação preparou três tipos de passeios: o Tour Histórico, uma espécie de túnel do tempo leva ao início da construção de Cerro Catedral; o Tour Aventura, para quem quer chegar ao cume da montanha parando para apreciar sua boa gastronomia; e o Tour Natureza, uma trilha pela floresta feita com raquetes para a neve. São 19 restaurantes, 39 meios de elevação e 120 quilômetros de pistas para todos os níveis, de onde é possível descer também de trenó, bóias de neve ou com um tipo de bicicleta com tábua. Site: catedralaltapatagonia.com

 

CHILE

 

NEVADOS DE CHILLÁN (CHILLÁN)

Apesar de ter a maior pista da América do Sul - a Las Três Marias, de 13 quilômetros -, a grande atração do local continua sendo o banho em suas águas termais, aquecidas pelo vulcão Chillán. A estação de esqui fica a 82 quilômetros da cidade e a 450 quilômetros da capital Santiago, mas a cidade mais próxima com aeroporto é Concepción, a duas horas e meia de carro da estação. Além de suas 28 pistas e 9 lifts (meios de elevação), conta com tirolesa, passeios de moto e com trenó, campos de golfe e tênis e atividades como trekking e mountain bike. Site: termaschillan.cl

 

CORRALCO

Que tal esquiar nas encostas do vulcão Lonquimay, dentro de uma reserva ambiental? Na mais nova estação de esqui chilena isso é possível. A 120 quilômetros de Temuco, cidade onde chegam osvoos, Corralco está dentro da Reserva Nacional Malalcahuello, conta com 26 pistas, passeios com raquetes de neve e moto, além de trekking. Com a inauguração do Valle Corralco Hotel & Spa em 2013, a estação chilena entrou para a rota na neve dos viajantes brasileiros. Site: corralco.com

 

Do tipo ski-in/ski-out (aquele que você já sai esquiando do próprio hotel), a estação é uma das mais tradicionais do mundo e garante tranquilidade e desconexão com o urbano graças à sua localização no meio da Cordilheira dos Andes, entre a Argentina e o Chile. O esqui é a principal atividade por lá, mas seu outro ponto alto é a gastronomia, comandada pelo chef Rafael Figueroa. Durante a alta temporada, organiza vários eventos. Está a 130 quilômetros do aeroporto de Santiago. Site: skiportillo.com

É uma das estações mais próximas a Santiago - são 60 quilômetros - e, junto com La Parva, Farellones e El Colorado, forma a maior área esquiável da América do Sul. Suas 42 pistas são ótimas para a prática do snowboard, inclusive para aqueles que nunca subiram na prancha e querem aprender - desde 2014, há novas áreas para os principiantes se divertirem. Tanto quanto Portillo, Valle Nevado se sai muito bem quando o assunto é comida: são seis opções de restaurantes que vão desde os famosos La Fourchette e Bajo Zero até o novo La Leñera, inaugurado também em 2014. Site: vallenevado.com

LA PARVA

Localizada no vilarejo de mesmo nome, a 2.653 metros de altitude, é bastante procurada pelos próprios chilenos por estar a apenas 1 horas de Santiago. Não tem hotéis, mas apartamentos para alugar, bastante úteis a quem viaja com muita gente e quer economizar. De suas 48 pistas, a maior parte (43%) é para níveis intermediários/avançados, mas há também uma escola no local atendendo os principiantes e crianças de 6 a 12 anos com instrutores que falam português. Site: laparva.cl

 

PUCÓN

Descer pelas pistas da encosta do Vulcão Villarrica - ao todo, são 20 para esqui ou snowboard, e 6 meios de elevação - é emocionante. Mas, antes de ir, torça para que ele não entre em erupção, interrompedo as atividades da estação, como em 2015. O centro está localizado a 20 minutos de carro da cidade de Pucón. Site: skipucon.cl

 

Quem visita a Reserva Biológica Huilo Huilo pode conhecer o centro Bosque Nevado. Indicado especialmente para principiantes, ele oferece esqui, snowboard, caminhadas com raquete e passeios em motos de neve, entre outras atividades. O trajeto do Portal Huilo Huilo até o centro de esqui leva cerca de uma hora. Site: huilohuilo.com

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Roupas e equipamentos para a neve: onde vale a pena comprar?

Vai viajar para uma estação de esqui e não sabe o que levar na mala e o que alugar no próprio destino? Fizemos uma comparação de preços dos produtos básicos para você fazer as contas e sair ganhando:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.