Nova Zelândia é opção para quem procura aventura nas férias

País da Oceania tem várias opções de esportes radicais

Renata Gallo, Especial para O Estado

29 Outubro 2014 | 20h00

Geleiras, picos nevados, gêiseres, vulcões, florestas exuberantes, fiordes e 15 mil quilômetros de litoral. Dividida em duas ilhas, a Nova Zelândia (newzealand.com/br) tem uma forte veia aventureira.

Na Ilha do Norte, a mais povoada, o grande ponto de referência é Auckland (aucklandnz.com), maior cidade do país com 48 vulcões. Canoagem, escalada e paraquedismo são atividades que podem ser praticadas com facilidade na cidade. Na Sky Tower (skycityauckland.co.nz), a 192 metros, dá para experimentar a sensação de queda livre saltando da plataforma ao chão preso a um cabo de aço ou andar pela plataforma, pelo lado de fora, preso a cabos de segurança.

Ao sul, na ilha de clima mais frio, fica um dos principais destinos do país, Queenstown, ladeada por montanhas e às margens do Lago Wakatipu. Após subir na Sky Gondola (skyline.co.nz), que leva os visitantes a 450 metros de altura, é possível caminhar ou apostar corrida de carrinho ladeira abaixo. E você não poderá dizer que conheceu Queenstown se não for à ponte sobre o Rio Kawarau (bungy.co.nz), berço do bungy jump.

Table Mountain e tubarões brancos

É impossível andar na Cidade do Cabo sem olhar para o alto. A Table Mountain está sempre ali, à espreita. Pode-se subir até 1.089 metros de altura de teleférico (tablemountain.net) ou a pé. Adrenalina? Na Garden Route, estrada até Port Elizabeth, pare em Hermanus para mergulhar em gaiolas com tubarões brancos (na Marine Dynamics; sharkwatchsa.com). Próxima parada: Plettenberg Bay, para um bungy jump com 216 metros (faceadrenalin.com).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.