Novembro concorrido na cena cultural gaúcha

Repleta de centros culturais e monumentos espalhados em parques e praças, Porto Alegre é dotada de uma cena artística fervilhante - que, em novembro, será particularmente concorrida. Isso porque a cidade recebe simultaneamente a 8.ª Bienal do Mercosul, a 57.ª Feira do Livro e ainda uma rara exposição do pintor uruguaio Torres Garcia.

FELIPE MORTARA / PORTO ALEGRE , O Estado de S.Paulo

01 Novembro 2011 | 03h08

Sob o tema Ensaios de Geopolítica, a edição da Bienal (bienalmercosul.art.br) ocupa 16 espaços espalhados pela cidade. A maioria dos trabalhos de quase 200 artistas, expostos até dia 15, se concentra nos armazéns do Cais do Porto, às margens do Rio Guaíba. A entrada é gratuita e a visita pode se transformar em uma intrigante viagem se você pedir o acompanhamento de um mediador. Em quatro grandes galpões, instalações convidam a refletir sobre conceitos e dilemas da política atual, questionando ideias de fronteiras, identidade e limites.

Inspirada nesses debates, a curadoria criou um roteiro turístico diferente. A mostra Cidade Não Vista leva intervenções de nove artistas a pontos inusitados de Porto Alegre. Como o andaime que conduz ao interior da - até então só conhecida por fora - chaminé de 117 metros da antiga usina termoelétrica do Gasômetro, hoje um vivo centro cultural. Ou ainda a instalação que reproduz hinos de países da América do Sul simultaneamente nos jardins do Palácio Piratini, sede do Governo, normalmente restritos à visitação pública.

Alguns trabalhos ganharam também espaços clássicos da cidade, trazendo o contemporâneo para dialogar com o passado. Caso do Santander Cultural (www.santandercultural.com.br), instalado em um belo prédio neoclássico de 1932 repleto de vitrais coloridos, e do Museu de Arte do Rio Grande do Sul (www.margs.rs.gov.br), que hoje exibe 3 mil obras em um prédio que funcionou até os anos 1950 como delegacia fiscal.

Letras. Já que está no centro da cidade, caminhe até a Praça da Alfândega, rumo à Feira do Livro de Porto Alegre, (feiradolivro-poa.com.br), uma das mais antigas do País. Realizado até dia 15, o evento reúne escritores, ilustradores e contadores de histórias. A programação literária, contudo, se estende para outros centros culturais, como a charmosa Casa de Cultura Mário Quintana (ccmq.com.br), que abriga sala de cinema e obras do poeta gaúcho no belíssimo prédio do antigo hotel Majestic.

Clássicos. Passeio fundamental na capital gaúcha, a Fundação Iberê Camargo (iberecamargo.org.br) expõe, até dia 20, mais de 90 pinturas, desenhos e brinquedos projetados pelo uruguaio Joaquín Torres García. É a primeira exposição das obras geométricas do artista fora de sua terra natal desde o incêndio no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, em 1978, onde uma grande retrospectiva de suas pinturas e esculturas foi destruída. A coleção em seguida virá para a Pinacoteca, em São Paulo.

Instalado mas margens do Lago Guaíba, o prédio é, por si só, uma atração. Na saída, reserve tempo para uma intervenção artística da natureza: o belo pôr do sol sobre as águas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.