O básico do Peru

Planejo ir a Lima, Cuzco e Machu Picchu numa viagem de 7 a 8 dias. O tempo é suficiente? Qual é a melhor época para viajar? É seguro ir por conta própria? (Celso, São Paulo)

Ricardo Freire, O Estado de S.Paulo

10 Fevereiro 2015 | 02h06

Dispondo de oito dias para o Peru, dá para alocar três noites para Lima, quatro para Cuzco (três antes de ir a Machu Picchu e uma na volta) e uma noite em Águas Calientes (a base para visitar Machu Picchu). Com 15 dias, daria também para ir a Puno (à beira do lago Titicaca, na fronteira com a Bolívia), visitar a linda cidade colonial de Arequipa e sobrevoar as linhas de Nazca.

A melhor época para viajar ao Peru é o meio do ano. Entre maio e setembro, o tempo é seco e - apesar do frio - permite uma melhor experiência em Cuzco e Machu Picchu. Entre outubro e abril pode chover, especialmente em janeiro e fevereiro, quando são comuns as trombas d'águas (que, em alguns anos, chegam a interditar o acesso a Machu Picchu).

Aproveite Lima como um destino gastronômico: experimentar o ceviche do Pescados Capitales (pescadoscapitales.com) num almoço é tão importante quanto visitar o Museu do Ouro ou o Museu Larco. Mas não fique só no peixe marinado: a cozinha chifa, com influência chinesa, também é deliciosa; prove no Chifa Hou Wha (chifahouwha.com.pe).

Em Cuzco, lembre-se que o primeiro dia provavelmente será perdido para o soroche, o mal de altitude que costuma acometer o forasteiro. No terceiro dia, pegue um tour para as ruínas de Ollantaytambo e siga no último trem para Águas Calientes. A estratégia de dormir no vilarejo de Águas Calientes é clássica: permite que você entre no sítio arqueológico de Machu Picchu duas horas antes dos visitantes que vêm de trem.

O Peru é visitado majoritariamente por turistas viajando por conta própria - é, talvez, o maior ímã de mochileiros da América do Sul. Os cuidados com segurança devem ser os mesmos que você tomaria no Brasil, acrescidos da recomendação de recusar transporte ilegal ou ofertas inacreditáveis, que podem ser grandes roubadas.

Três pontos são importantes para a sua viagem dar certo. Primeiro, emita num mesmo bilhete todo o seu itinerário aéreo, para ter direito a assistência nas conexões. Segundo, reserve com antecedência o trem a Águas Calientes (perurail.com). Terceiro: saia do Brasil com o ingresso para Machu Picchu já comprado; o número de visitantes por dia é limitado (machupicchu.gob.pe).

Um blog brasileiro com um excelente passo a passo para organizar sua viagem ao Peru é o Sundaycooks (http://oesta.do/aoperu).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.