O canto verde e amarelo dos Jogos

Durante a Olimpíada de 2012, cada país terá um ponto oficial de encontro para entreter atletas, vips, torcedores e promover atrações. Os brasileiros criaram a Casa Brasil, que ficará instalada na Somerset House (somersethouse.org.uk), um palácio transformado em centro cultural localizado no centro, à beira do Tâmisa - melhor lugar impossível. Além da programação regular, serão anunciados eventos especiais dedicados aos brasileiros.

ANA , GASSTON, O Estado de S.Paulo

01 Maio 2012 | 03h09

Na entrada próxima da Ponte Waterloo, há um terraço com vista para a London Eye, onde está instalado o bar Tom's Terrace (tomskitchen.co.uk), do conceituado chef Tom Aikens. Se o tempo não estiver bom, há como experimentar as delícias criadas por ele no restaurante ou na deli que também ficam dentro do prédio.

No centro da Somerset House fica o fantástico Edmond J. Safra Fountain Court, onde jatos d'água saem do chão e fazem a alegria da criançada. No verão, rolam ali concorridíssimas sessões de cinema e shows; no inverno, o espaço vira um rinque de patinação no gelo.

Na entrada principal, em Strand, está a Courtauld Gallery, que tem uma rica coleção de pinturas impressionistas e pós-impressionistas de artistas como Cézanne, Monet e Gauguin. Muitas das obras foram doadas por Samuel Courtauld, um dos fundadores do espaço, cujo irmão, Sir Stephen, ficou conhecido pelo trabalho de restauração do Eltham Palace, que já foi tema dessa coluna.

Erguido no século 16, o palácio foi usado por rainhas para festas e eventos até o século 18, quando entrou em decadência. O Rei George III resolveu trocá-lo com o governo e se mudou para o Palácio de Buckingham. O governo reconstruiu a Somerset House para abrigar escritórios. No fim do século 20, iniciou-se uma campanha para abri-la ao público e, finalmente, em 2000, o espaço virou centro cultural.

Às quintas e sábados, visitantes têm a opção de acompanhar um guia para conhecer a história do palácio e lugares que não são abertos ao público. Alguns foram cenários de filmes como Sherlock Holmes, dirigido por Guy Ritchie. O tour acaba nas Embankments Galleries, onde podem ser vistos objetos encontrados em escavações no local, fotos antigas e um filme que mostra todas as fases do palácio, desde a época Tudor até hoje. Em 2012, ele será verde e amarelo.

* É jornalista, paulistana e

vive em Londres há 10 anos

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.