O cenário de Coco depois de Chanel

Mademoiselle morou no hotel da Place Vendôme por mais de três décadas e deixou ali seu estilo

Carla Miranda, O Estado de S.Paulo

03 Novembro 2009 | 01h41

Ela já era Chanel quando se transferiu com suas valises e sua solidão para uma suíte do Ritz, em 1934. No hotel da Place Vendôme, Mademoiselle estava a poucos passos do ateliê da Rue Cambon, sua verdadeira paixão e quartel-general onde criava coleções, recebia clientes selecionadas e amigos tão famosos quanto Jean Cocteau e Salvador Dalí.

 

EXCLUSIVA - Diária na suíte com 150m² custa a partir de € 7.650: sala de estar e dois quartos

Mas o quarto de 150 metros quadrados era o destino dela quando todos iam embora. E eles sempre iam. Um aposento de frente para a praça e coberto de luxos que a paupérrima órfã Gabrielle não poderia imaginar. O lado menos glamouroso da biografia da estilista está ao alcance de todos no filme Coco Antes de Chanel, que estreou na semana passada tendo Audrey Tautou como protagonista.

Ao contrário dos exclusivos espaços que receberam a Coco depois de Chanel. Caso do lendário ateliê na Cambon - e também da suíte do Ritz, disponível apenas para quem puder desembolsar 7.650 numa única diária. São dois quartos interligados, é verdade, além da sala de estar que você vê acima. Ambientes decorados com a colaboração de Karl Lagerfeld, o estilista à frente da maison Chanel.

Cada item do mobiliário foi escolhido para recriar os tempos de Mademoiselle. Cristais, espelhos barrocos e peças laqueadas se destacam em todas as áreas. Na sala, grandes sofás de camurça castanha com vista para a Place Vendôme e para as muitas grifes de alto luxo que se instalaram em seu entorno.

A decoração, dizem, foi inspirada na Vila La Pausa, na Riviera Francesa, presente que Chanel recebeu do segundo duque de Windsor, um dos homens que passaram por sua vida. O nobre chegou a pedir a estilista em casamento. E a explicação de Coco para recusar a proposta virou mais uma anedota sobre sua personalidade: "Há muitas duquesas, mas só uma Coco Chanel."

Em outra de suas frases de efeito, ela definiu a essência do chique: "É o que passa despercebido nos outros locais, mas todo mundo nota no Ritz", garantiu. Mademoiselle morreu sozinha em seu quarto, em janeiro de 1971, depois de morar no hotel por mais de três décadas. Tinha 88 anos.

linkSite: www.ritzparis.com

Mais conteúdo sobre:
Viagem & AventuraCoco Chanel

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.