Fábio Vendrame/Estadão
Fábio Vendrame/Estadão

O destino que você escolheu: Sevilha, na Espanha

Na Batalha de Destinos da semana, nossos seguidores no Instagram (@viagemestadao) escolheram Sevilha, com passeios históricos e culturais, chegada (ou partida) para outros destinos de trem e em época de temperaturas mais amenas

Redação, O Estado de S.Paulo

03 de abril de 2019 | 15h05

Foi tão disputada a batalha entre Sevilha e Barcelona, dois clássicos destinos espanhóis. Tanto que, pela primeira vez, deu empate na primeira rodada. E, na segunda, para desempate, Sevilha venceu, mas não de forma tranquila: levou 52% dos votos.

O roteiro escolhido pela cidade da Andaluzia foi: com passeios culturais e históricos; chegando (ou partindo) de trem; e durante a época do ano com clima mais ameno.

 

COMO FUNCIONA A BATALHA DE DESTINOS

Toda semana, o Viagem lança uma nova disputa de destinos nos stories do Instagram. Além do lugar, você ainda pode votar no tipo de roteiro que quer fazer. O resultado pauta nossas dicais semanais - confira no fim desta página outros destinos que venceram. Para participar e sugerir destinos para a batalha, siga o Viagem no @viagemestadao e participe.

A seguir, as dicas para curtir Sevilha de acordo com o roteiro escolhido. 

 

1. Quantos dias ficar e quando ir

Uma das principais cidades da Andaluzia, Sevilha cabe em dois dias, mas o ideal para conhecê-la bem é ficar ao menos quatro dias. E os nossos seguidores escolheram a melhor época, de clima mais ameno. Isso porque o verão por lá é realmente quente - as temperaturas podem ultrapassar os 35º (sem chuvas) em julho e agosto. Por mais que se goste do verão, caminhar o dia todo (é a melhor forma de conhecer Sevilha) sob o sol quente não é tão agradável assim. Por isso, dê preferência para a época da primavera ou do outono no Hemisfério Norte (em abril e outubro chove).  

2. Chegando (ou partindo) de Sevilha de trem

Para quem estiver em Madrid (ou for para lá depois), são em média 2h30 a bordo do trem bala AVE (Alta Velocidade Espanhola) até Sevilha, com passagens em torno de R$ 212. Também é possível fazer o trajeto Sevilha-Barcelona (e vice-versa) de trem: o percurso é de 5 horas no trem de alta velocidade, saindo em torno de R$ 300 a passagem, e 11h30 no trem comum (média de R$ 134 a passagem). Consulte valores e horários em renfe.spainrail.com e raileurope.com.br.  

3. Passeios históricos e culturais

Cada canto de Sevilha poderá te contar ou mostrar aspectos interessantes da história da cidade e das culturas que por ela passaram e se estabeleceram ao longo dos séculos. Por isso, nossa dica é que você passeie tanto quanto for possível sem rumo, sem compromissos. Você vai acabar se deparando com cartões-postais como a colorida Praça Espanha, dentro do Parque de María Luisa, o Rio Gadalquir e o bairro judeu Santa Cruz

Se quiser fazer isso ao lado de um guia, Sevilha tem os free walking tours diários (aqueles que você paga no final do tour quanto puder e quiser). Consulte os horários e pontos de encontro: freewalkingtoursevilla.tours.  

 

Real Alcázar (alcazarsevilla.org)  - É um dos pontos mais imperdíveis de Sevilha e, por isso, é bom comprar os ingressos com antecedência. Trata-se de um conjunto de palácios construídos em diferentes épocas, desde a dominação romana. Ali, observe a arte mudéjar, um estilo que incorpora diversos elementos da cultura muçulmana ibérica.  

Torre La Giralda e Catedral de Sevilha (catedraldesevilla.es) - Patrimônio da Unesco, a torre é cartão-postal. Da época de dominação islâmica, já foi a maior do mundo. Já a Catedral (de Santa Maria de la Sede) tem estilo gótico e é a terceira maior do mundo. Dentro dela está o Mausoléu Cristóvão Colombo e o agradável Pátio de los Naranjos, repleto, claro, de laranjeiras.

Metropol Parasol (setasdesevilla.com) - Apesar de estar na parte antiga de Sevilha, é uma construção relativamente nova, de 2011. Tida de madeira, ficou popularmente conhecida como Las Setas de Sevilha (“Os cogumelos de Sevilha”) por conta do formato. Fica na Praça da Encarnação e conta com um mirante e com um espaço com vestígios da época romana, o Antiquarium

Palácio das Donas (lasduenas.es) - Construído no século 15, o nome do edifício vem do monastério Santa Maria de las Dueñas, que funcionou no mesmo lugar. Pertenceu a diversas famílias até chegar às mãos do duque e duquesa de Alba. Já recebeu estadistas importantes como Henrique VIII e o casal Raniere III, o príncipe de Mônaco, e Grace Kelly.   

Flamenco (museodelbaileflamenco.com) - Para ver apresentações do estilo de dança mais típico de Sevilha, vale a pena ir a casas noturnas do Bairro Triana (onde tem a Ponte Triana): foi ali o berço do flamenco. Há também o Museu do Baile Flamenco, com exposições interativas e espetáculos. 

Real Maestranza de Caballeria (realmaestranza.com) - A tourada é polêmica e nem todos gostariam de assistir a uma apresentação nesta arena, que começou a ser projetada em 1730 e só foi concluída em 1881, sendo a  mais antiga da Espanha. Mas é impossível não dizer que a tourada faz parte da cultura espanhola e que uma visita ao local e ao seu museu valem a pena, mesmo que não inclua no pacote as apresentações. 

 

 

MAIS DICAS DA BATALHA DE DESTINOS

+ João Pessoa: de carro, com lugares para contemplação, noite tranquila e bate-volta

+ Vancouver: acompanhado, com passeios culturais e comendo em lugares descolados

+ São Thomé das Letras: num fim de semana, com crianças e no inverno

+ Londres: no inverno, com passeios alternativos e ao ar livre e comida de rua

+ Maragogi: sem crianças, de carro, com hospedagem em pousada e esticada até Maceió

Santiago: em casal, no inverno, lugares ao ar livre, bate-voltas e hospedagem em hotel

São Miguel dos Milagres: com carro alugado, esticada, atrações relax e com emoção

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.