Luc Gnago/Reuters
Luc Gnago/Reuters

O difícil momento de Guiné-Bissau

Os prédios em tons pastel e os cafés da capital Bissau emolduram uma situação política atualmente tensa, que inclui um golpe militar há cerca de um mês. Guiné-Bissau, na costa oeste da África, tem um jeito simpático, mas ao mesmo tempo reservado de ser – dificilmente aquele “bom dia, senhor” será seguido de oferta para comprar qualquer coisa.

07 Maio 2012 | 19h23

 

Mas está em dificuldades evidentes. As de cunho econômico persistem desde que o país declarou unilateralmente independência de Portugal, em 1973. Como ocorreu em muitos países africanos, a autonomia política foi seguida de guerra civil, que destruiu parte da infraestrutura, como transportes e energia.

 

As belezas naturais são muitas. No Arquipélago dos Bijagós, praias de areia-talco e mar claro abrigam uma população de cultura matriarcal. Na ilha de Orango vivem hipopótamos; e o Parque Nacional Marítimo João Vieira esconde praias selvagens.

 

Não é o melhor momento para ir lá. De qualquer forma, voos da TAP desde Lisboa são a forma mais fácil de chegar. Não há site oficial de informações turísticas. / MÔNICA NÓBREGA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.