O impressionante legado da Cidade Proibida

.

Camila Anauate, O Estado de S.Paulo

29 Setembro 2009 | 02h36

Cultura

Do dragão de jade, relíquia deixada pelos Hungshan há 6 mil anos, ao último carro do presidente, Taiwan guarda relíquias históricas em três dos mais importantes museus de Taipé. São milhares de objetos que ajudam a decifrar a cultura chinesa.

Para conhecer parte dessa herança, a visita ao Museu Nacional do Palácio é fundamental. Lá está o dragão esculpido em jade e muitos outros tesouros trazidos da Cidade Proibida, de Pequim. Quando o exército de Chiang Kai-shek foi derrotado pelo Partido Comunista, em 1949, e o governo transferido para Taiwan, 600 mil obras foram levadas à ilha.

 

Veja também:

linkSeis passos para decifrar a singular Taiwan

linkRELIGIÃO: Atmosfera de paz e meditação nos templos budistas

linkTRADIÇÃO: Costumes milenares transformados em coloridos festivais

linkCOMPRAS: Dos irresistíveis eletrônicos ao típico - e familiar - comércio de rua

linkMODERNIDADE: Uma ilha conectada por Wi-Fi

linkNATUREZA: De barco, um passeio pelo Sun Moon Lake

Em Taipé, o acervo só foi inaugurado em 1965, no mesmo local onde está até hoje. Ao longo dos anos, recebeu novos trabalhos doados por colecionadores e hoje soma 700 mil itens. Apenas uma pequena parte está em exibição, dividida em seções de pintura, caligrafia, antiguidades, porcelanas, tapeçarias, livros e documentos históricos. Antes de caçar os tesouros, pare diante da linha do tempo estampada na parede para ler um resumo da história da China e de suas dinastias.

Nos três andares, entre outras obras, há peças coloridas das dinastias Ming (1368-1644) e Ching (1644-1911), como o repolho esculpido em jade. Destaque absoluto para a tela Along the River During the Ch''ing-ming Festival,produzido por pintores da corte Ching. O ingresso custa 160 dólares taiwaneses (R$ 9). Site: http://www.npm.gov.tw/.

REPOLHO - Tesouro de jade

MEMORIAL

Chiang Kai-shek é uma figura muito popular no país. Cinco anos após sua morte, em 1975, estava pronto o memorial em sua homenagem, erguido com doações de cidadãos comuns.

A arquitetura é grandiosa. Depois de passar pelo portal com cinco arcos e caminhar pelo Democracy Boulevard, o turista chega ao mausoléu de mármore branco. Suba os 89 degraus, que representam a idade com a qual Chiang Kai-shek morreu, para ver a estátua de bronze do líder. O memorial também exibe objetos pessoais do presidente, como alguns carros usados por ele. Site: http://www.cksmh.gov.tw/.

ARTE MODERNA

O Museu de Belas Artes de Taipé reúne trabalhos dos séculos 19 e 20, de artistas locais e internacionais. Mas o forte são as exposições temporárias. Acervos de outros museus, como o do Centre George Pompidou, de Paris, circulam por lá. Em exibição até novembro, telas tridimensionais e arquivos modernos que contam os 20 anos de animação da Pixar. Ingressos a 200 dólares taiwaneses (R$ 11). Site: http://www.tfam.museum/.

Mais conteúdo sobre:
Viagem & Aventura Ásia Taiwan cultura

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.