O Museu da Salsicha e outras extravagâncias

De volta do Malauí, nosso incansável viajante sentiu os primeiros sopros do outono invadindo as colinas suaves de seu Condado de Essex. Botas, sobretudo e roupas de lã foram, portanto, tiradas da naftalina para a nova estação que se inicia. A seguir, a pergunta da semana:

Mr. Miles*, O Estado de S.Paulo

28 Setembro 2010 | 01h34

Mr. Miles: o senhor parece um homem extravagante. Pergunto-lhe, então: quais são as atrações mais extravagantes do mundo e o que acha delas?Rodolfo Kunster, por e-mail

"Well, my friend: I'm very sorry, mas não me considero um homem extravagante. Viajar não é extravagante. Vestir-se com apuro, ainda que no estilo inglês, tampouco pode ser considerado como tal.

Wacky, a meu ver, é gastar dinheiro para visitar museus da tortura. Há uma infinidade deles ao redor do mundo e os turistas parecem comprazer-se em ver como criamos tecnologias para maltratar uns aos outros. Wacky é cultivar costeletas e topetes, vestir roupas fora de moda e retornar mês após mês a Graceland para reafirmar a tese de que Elvis Presley permanece vivo.

E - aqui uma opinião muito particular - wacky é ingerir quinua, o grão da moda, e ficar horas com resíduos na boca à espera de que alguma alma caridosa surja com um jato de ar comprimido para, enfim, enxaguá-la.

But, in fact, my friend, o mundo está repleto de lugares amalucados, à espera de seus curiosos visitantes. Aqui no nosso Reino Unido, for instance, está muito na moda um novo restaurante da cidade de Manchester, chamado Hellfire Club. Minha querida amiga Tutty Kopfberg, que passa longa temporada por lá, contou-me que a comida do estabelecimento é surpreendentemente razoável. O problema é que o tema do lugar é o terror. Durante toda a refeição, são criadas situações para que você leve um susto ou, pior que isso, entre em pânico. Oh, my God? What a wacky experience. Comer com taquicardia! Don't you agree?

Ainda no ramo alimentar, chamo a atenção para o Museu da Currywürst, em Berlim. Você já provou alguma, my friend? Trata-se de uma salsicha temperada com curry francamente deliciosa. Mas daí a criar um museu sobre o tema? Isn't it weird? O ingresso custa inacreditáveis 11 e, além de aprender a receita original da iguaria, você terá a oportunidade de entrar numa salsicha gigante e verificar seu interior. Melhor que o Louvre, isn't it?

Se você, however, estiver interessado em uma atração de dar náuseas, não deixe de visitar o Museu das Parasitas de Tóquio. Ali você verá, ao vivo, uma coleção de mais de 300 vermes imundos que estamos sujeitos a ingerir e desenvolver. A obra-prima da mostra é uma tênia de 10 metros de comprimento, expelida das entranhas de uma mulher que teria ingerido um sushi de "gosto estranho".

Os americanos, of course, contribuem solertemente com essa galeria de atrações incomuns. Em Santo Antonio, no Texas, o Museu das Privadas de um certo Greg Brown não para de crescer. Já são mais de 800 assentos sanitários decorados com motivos diversos. Ele mesmo os produz: há modelos decorados com cartões postais, outros com gravatas, com alças de caixão, capas de disco, chapas de carro, distintivos de escoteiro etc.

Um dos mais apreciados foi feito com as fotos de uma cirurgia de olhos à qual Greg teve de submeter-se anos atrás. Particularmente, eu acho que, ao sentar-se nesse modelo específico, o usuário correria o risco de sentir-se demasiadamente observado. Don't you agree?"

*É O HOMEM MAIS VIAJADO DO MUNDO. ESTEVE EM 132 PAÍSES E 7 TERRITÓRIOS ULTRAMARINOS

 

Veja também:

link Ásia para iniciantes

link Nas lojas, a lei do muito por pouco

link Victoria Peak e Ilha de Lantau. Para visitar com ou sem fog

link 10 razões para marcar aquela visita a Inhotim

blog Blog do Viagem

Mais conteúdo sobre:
mr. miles salsicha viagem museu

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.