O que esperar do caminho

Cenário: José Palma

O Estado de S.Paulo

27 Setembro 2011 | 03h09

Os caminhos da vida ensinaram-me que viajar a pé é muito mais que dar um passo após o outro. O trajeto é uma desconstrução de conceitos que fomos colocando em nossa mochila sem ter o cuidado de verificar seu prazo de validade.

Ao lançar-se numa empreitada desta magnitude, não se leva status, nível social, diploma. Sem as couraças, caminha-se somente com a essência.

Ao longo de 15 anos, tenho convivido diariamente com peregrinos do Brasil e do mundo e posso afirmar com absoluta segurança: caminhamos da mesma forma como nos comportamos em nossas vidas. Esperamos por coisas boas.Nem sempre estamos preparados para as decepções. Ter humildade para receber, ser flexível, praticar a fraternidade, a paciência e a superação são aprendizados que podem doer mais que as dores físicas.

É CONSULTOR DO PROGRAMA CAMINHA SÃO PAULO DA SECRETARIA DE TURISMO DO ESTADO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.