Ricardo Becker
Ricardo Becker

O que fazer no Festival da Linguiça de Bragança (além de comer linguiça)

Conhecida como 'terra da linguiça artesanal', cidade no interior paulista tem entrada grátis e muita opção de entretenimento para a família e é boa opção para um bate-volta

José Antonio Leme, O Estado de S.Paulo

13 de setembro de 2019 | 05h00

Bragança Paulista fica a apenas 90 km de São Paulo. O caminho mais fácil de chegar na cidade é pela Rodovia Fernão Dias (BR-381), coisa de pouco mais de 1 hora de viagem - ou seja, cabe bem em um bate-volta. A cidade, que tem cerca de 200 mil habitantes, mantém duas grandes paixões: seu título de terra da linguiça artesanal e o time de futebol Clube Atlético Bragantino.

Como eu sei disso com tanta facilidade? Bem, tenho raízes por lá. Ou, como dizem por aí atualmente, na gíria, "sou clubista". Crescer no fervor do anos 90 na cidade, ver o time oferecer atletas para a seleção campeã do mundo de 94, a ascensão de Wanderley Luxemburgo como técnico graças ao seu trabalho no "Braga".

Desde essa época, nos intervalos dos jogos, a pedida era uma só: "pão com linguiça, por favor!". Um clássico da cidade, o sanduíche, que de todos continua a ser meu favorito, é apenas um dos pratos que podem ser encontrados neste fim de semana no 9º Festival da Linguiça de Bragança Paulista.

A festa pela primeira vez foi dividida em dois fins de semana, 6,7 e 8 de setembro e agora 13, 14 e 15 de setembro, com entrada franca, no Posto do Monta, uma ampla área de exposições. A expectativa da organização é receber 70 mil visitantes nos dois finais de semana.

Quem quiser aproveitar de um passeio diferente e próximo a São Paulo, é possível fazer o trecho entre a capital e a cidade do interior em 1h30. Estivemos no primeiro fim de semana da festa para selecionar o que você não pode perder entre as dezenas de atrações disponíveis. Abaixo, nossas cinco favoritas.

 

Gastronomia

Na Festa da Linguiça é importante você ir com o estômago preparado para comer muita linguiça, preparada de diversos modos. Se possível, escolha uma calça mais folgada, as opções são ótimas e você provavelmente não vai ficar em uma só (eu não fiquei). São oito produtores de linguiça com cerca de 30 pratos autorais. O importante é: ter linguiça, é claro.

Meu favorito ainda é o clássico pão com linguiça, como já antecipei acima. Uma das versões desse sanduíche clássico que tem por lá traz, além dos dois componentes do nome, vinagrete e queijo.

Outras receitas diferentes são a Batata Rosti com linguiça e Risoto de Linguiça Bragantina com tomate seco e rúcula, que também é muito bom e uma bela pedida para quem quer fugir dos petiscos (como a saborosa porção de linguiça). Não me furto a dizer que o risoto também estava incrível e vai exigir uns dias a mais de academia. Outro destaque deste ano é a alheira portuguesa - tem ainda escondidinho, linguiça de quibe com queijo e outras variáveis. Os pratos custam entre R$ 10 a R$ 60.  

 

Passeio de Helicóptero

Quem quiser guardar um momento diferente com a família pode investir no passeio de helicóptero. A aeronave sobrevoa a festa e parte da cidade, e oferece uma bela vista para parte da cadeia de montanhas da Serra da Mantiqueira, já que Bragança Paulista está próxima à divisa com Minas Gerais.

O frio na barriga é inevitável, mas é parte essencial do passeio. O piloto faz curvas rápidas sobre a festa e, por um momento, tive a sensação de que ia cair quando o helicóptero ficou quase de lado sobre a exposição. Mas que nada. São apenas quatro minutinhos, mas enxergar minha cidade de outro ângulo foi uma experiência bem interessante. A beleza da região se mostra do alto.

Os voos podem ser feitos entre 10h e 17h. Custa R$ 100 por pessoa ou R$ 250 para até três pessoas, desde que, juntas, não pesem mais que 210 kg, por questões de segurança. A empresa oferece ainda gravação de imagens do voo que são enviadas por whatsapp em até 48 horas após o passeio. O duro é esperar tanto tempo pela recordação.

 

Balão

Essa é só para as crianças. Espere até o fim da tarde: além do entardecer belo na região, com clima agradável, a montagem do balão para o voo cativo (quando o balão apenas sobe e desce no mesmo lugar, preso por uma corda) é um evento à parte, aguçando a curiosidade de crianças e adultos.

É como um ritual. As crianças gritam e pulam, encantadas; algumas ficam vidradas, com os olhos fixos no balão, que aos poucos vai ganhando forma. Enquanto ele começa a encher, os visitantes se aglomeram ao redor para assistir. O voo é exclusivo para as crianças e bem rápido (afinal, a fila é grande e tem que andar), mas ganha os pequenos e deixa uma memória incrível de ver a festa de uma perspectiva diferente. Grátis.

 

Aprender a fazer linguiça

A chefe Patrícia Polato, no meio da tarde, faz uma aula-show para ensinar o público a preparar a própria linguiça caseira. O show não é exagero. A interação é real, a proximidade é factível e, durante as explicações, ela está aberta a perguntas. O clima é de uma conversa entre amigos, em que alguém está dando dicas de uma receita sua para os outros, coisas do interior.

Além de explicar a história do por que a linguiça da região bragantina se tornou famosa (e continua assim até hoje), ela dá dicas práticas de como fazer em casa, o que utilizar e mostra que não precisa de grandes malabarismos para se aventurar na arte da charcutaria (fazer embutidos e carnes curadas). Também grátis, das 15h às 16h.

 

Atrações extras

Entre um prato com linguiça e outro também, há outras atrações que valem a pena. Além do Parque de Exposições ter uma enorme área arborizada, o que garante um espaço para se refestelar sob a sombra de uma árvore a sua escolha depois do farto almoço (tente, é bom).

Há encontro de carros antigos, base de paintball, barracas de outros produtos para consumo e compra que combinam com a linguiça, como queijos e pimentas. Há sempre música ao vivo - bem, para não dizer que não avisei a ninguém, ou que não seja surpresa, no interior as pessoas gostam de ouvir sertanejo. Mas tudo a um volume que permita a você conversar nas mesas próximas, ou pedir seu pão com linguiça sem gritar.

 

Por que a linguiça bragantina ficou famosa?

Primeiro é preciso entender o motivo da fama. No início do século passado, porcos criados na região serviam apenas para venda da banha para a capital paulista para uso das Indústrias Matarazzo. O restante, inclusive as carnes nobres, que são as mais magras do porco, em tese, ficavam sem uso.

Assim, os produtores começaram a produzir linguiça com as carnes, incluindo as nobres. Assim, as linguiças da região bragantina foram se tornando famosas pela qualidade por usar boas carnes, diferentemente do usual, que utilizam o resto do porco.

 

SERVIÇO

9° Festival da Linguiça de Bragança Paulista

Quando: Dias 06, 07 e 08, 13, 14 e 15 de setembro de 2019 (sexta-feira, sábado e domingo).

Horário: Das 10h às 22h.

Local: Parque de Exposições Dr. Fernando Costa, conhecido como Posto de Monta, Bragança Paulista, SP.

Entrada: Grátis.

Estacionamento: No local, com seguro, R$ 20,00.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.