Mônica Nobrega/Estadão
Mônica Nobrega/Estadão

O que se come nos Bálcãs

Um pouco mais da culinária local - e lugares para experimentá-la

Mônica Nobrega, O Estado de S.Paulo

19 de março de 2019 | 04h30

De forma geral, a cozinha dos Bálcãs é muito carnívora, ao mesmo tempo que repleta de vegetais produzidos na região. Restaurantes montenegrinos levam à mesa pratos individuais, enquanto sérvios gostam mais do formato de mezes, porções para compartilhar. 

RAKIJA

Na vinícola Masanovic, em Virpazar, na margem do Lago Skadar, provamos duas típicas bebidas montenegrinas. Primeiro, rakija (diz-se “rákia”), destilado de fruta feito com ameixa (a produção é expressiva), quince (uma parente da pera) e outras. A rakija é a cachacinha de boas-vindas, o trago para relaxar. Tem em qualquer bar e restaurante e é vendida nos supermercados. 

Segundo, o vinho tinto de uvas vranac, típicas de Montenegro. Um daqueles vinhos que dão a sensação de que você nunca beberá algo semelhante em outro lugar. A garrafa do varietal Krin custou 10 euros. 

KAJMAK

Kajmak (diz-se “kaimak) é uma pasta feita com nata de leite fermentada e sal. Acompanha pão, carnes e vai na receita de kacamak (diz-se “katchamak”), um purê de batatas com farinha de trigo que provamos no restaurante Jezero, à beira do Lago Negro, em Zabljak, Montenegro. Kajmak e kacamak são deliciosos.

PIMENTÃO 

Na Sérvia, é servido desde o café da manhã, assado, em conserva, empanado e recheado. Comprei meus vidros de ajvar, pasta de pimentões vermelhos, no excelente restaurante Manufaktura, que é também um empório no centro de Belgrado, por 10 euros cada.

PESCADOS

Sopa de peixe foi uma entrada que encontramos em todos os restaurantes. Mas a melhor foi a do Aqua Doria, na deliciosa cidade de Novi Sad, na província de Voivodina, norte da Sérvia. Jovem e vibrante, Novi Sad será capital da cultura na Europa em 2021 e vale tanto bate-volta desde Belgrado (uma hora de carro ou ônibus) quanto pernoite; tem uma bela fortaleza cheia de passagens secretas à beira do Rio Danúbio (não vá sem guia) e vida noturna animada no centro histórico.

CARNES

Uma prancha de carnes (vitela, porco, linguiças, kaftas), praticamente um churrascão, é um dos principais pratos da cozinha sérvia. Foi o que comemos no nosso último jantar, em uma kafana na boêmia rua Skadarska, a Tri Sesira, que existe desde 1864. Kafanas são as típicas, barulhentas e, infelizmente, esfumaçadas tabernas sérvias – ainda é permitido fumar nos restaurantes da Sérvia e de Montenegro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.