Naiana Oscar/AE
Naiana Oscar/AE

Oito horas para apreciar a natureza

Tuiuiús, araras-azuis e ipês amarelos se exibem pelas janelas dos vagões durante todo o percurso

Naiana Oscar, O Estado de S.Paulo

18 Agosto 2009 | 02h26

Pela janela do trem, o Pantanal. Tuiuiús, araras-azuis, ipês amarelos e o leito dos Rios Aquidauana e Miranda. Tudo a 40 graus. Do lado de dentro, ar condicionado, poltronas reclináveis, refrigerante, cerveja gelada, petiscos e a possibilidade de entender a paisagem com a ajuda de um guia local. O velho Trem do Pantanal, batizado de Pantanal Express, é uma boa alternativa para quem quer conhecer a maior planície alagável do mundo. A composição parte de Campo Grande todos os sábados, às 7h30, com destino a Miranda, e volta aos domingos, às 8h30.

A viagem até Miranda dura oito horas. Sim, é cansativa. Mas dá ao viajante a oportunidade de apreciar com calma a paisagem, intercalar um jogo de cartas com os amigos ou curtir uma genuína polca paraguaia no vagão-restaurante.

A parada para o almoço, ao meio-dia, é em Aquidauana. Tem rodízio para todo gosto, de carne e de peixe. E os preços não assustam. Na churrascaria Princesa do Sul, por exemplo, a rodada sai por R$ 20.

 

Veja também:

linkEm plena forma, 'velho trem' do Pantanal está de volta

Já o rodízio de peixes do restaurante O Casarão tem pintado ensopado, costela de pacu e até caldo de piranha. Mas, se a fome apertar no caminho, a cozinha do trem oferece café com rapadura, macarrão com carne seca, farofa de banana da terra, saladas, carnes e o tradicional arroz com feijão. Durante a viagem, turistas recebem água, refrigerante, cerveja e kit com bolachas.

Por enquanto, a locomotiva dispõe de nove vagões, com 282 lugares. No ano que vem, o número deve dobrar. Todas as poltronas são de couro, com bom espaço para os pés, e reclinam - exceto as das nove cabines exclusivas que, em contrapartida, têm mesa, privacidade e uma charmosa decoração com cortina e fotos de ferrovias em preto-e-branco.

Há quem reclame da velocidade da composição, que não ultrapassa os 30 quilômetros por hora. Outros, no entanto, acreditam que essa é a melhor maneira de curtir a paisagem. "Se fosse rápido nem daria para fotografar", diz o ferroviário aposentado Ivo Aires. "Assim é muito mais romântico."

 

COMO IR

A BWT (0--67-3029-0759; www.pantanalexpress.com) é a operadora do Pantanal Express. O pacote com aéreo, 2 noites em Bonito, 1 em Campo Grande e passagem de trem sai por a partir de R$ 1.628 por pessoa, em quarto duplo

O tíquete de trem custa R$ 77 por pessoa, entre Campo Grande Miranda. Inclui lanche

Mais conteúdo sobre:
ViagemMato Grosso do Sultrem

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.