Serjão Carvalho/Estadão
Serjão Carvalho/Estadão

Onde comprar chocolates na Costa do Cacau, na Bahia

Depois de visitar a região, suas fábricas e lojas, saiba onde fazer suas compras

Mônica Nobrega, O Estado de S.Paulo

16 de abril de 2019 | 04h30

Saiba onde comprar chocolates para levar para casa:

Chocolate Caseiro Ilhéus

Saindo do centro de Ilhéus, a primeira parada na Estrada do Chocolate é esta fábrica e loja criada em 1985. É a mais folclórica das paradas chocolateiras da região, a que mais faz questão de aliar sua imagem à de Jorge Amado e seus personagens: há, por exemplo, uma linha de chocolates ditos eróticos com nomes como O Cacau do Nacib e A Flor da Gabriela. Tem também bombom, licor, ovo de Páscoa… 

Chor Chocolate de Origem

No centro de Ilhéus, a poucos passos da Catedral de São Sebastião, do Museu Casa de Jorge Amado e do Bataclan, e tendo o Bar Vesúvio como vizinho, a Chor Chocolates de Origem mantém uma graciosa loja em tons de verde e marrom, onde são vendidas barras cujas concentrações de cacau variam de 35% a 70%. Há também trufas, bombons, fudges – meus preferidos foram os tabletes de laranja (70%) e damasco (44%). 

Cacau do Céu

A fachada azul, o mobiliário de madeira escura e o piso de ladrilhos hidráulicos da Cacau do Céu são as coisas mais instagramáveis que você verá em Ilhéus. Marcela Monteiro de Carvalho, chocolateira e proprietária, bisneta do coronel Tonico Bastos, personagem de Jorge Amado, estava atrás do balcão quando cheguei à loja. Imediatamente começou a oferecer os chocolates mais frescos que haviam acabado de sair de sua melanger – a máquina que faz o doce. E vieram cubinhos, trufas e bombons de manjericão, gorgonzola, cupuaçu, enquanto Marcela contava que não produz cacau, mas compra as amêndoas de João Tavares, uma celebridade no sul da Bahia, produtor de cacau respeitado, premiado na França e que fornece para  europeus como Pierre Marcolini  e Alain Ducasse.

Ironicamente, depois dessa passadinha no céu, como diz o nome da marca, segui direto para o aeroporto. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.