Kevin Moloney/NYT
Kevin Moloney/NYT

Os caubóis ficaram para trás

Nas áreas de preservação americanas, indígenas criam hotéis modernos em harmonia com a natureza

Bonnie Tsui, The New York Times

08 Setembro 2009 | 02h43

.

Os platôs avermelhados do Monument Valley, entre os Estados de Utah e Arizona, já foram cenário para diversas perseguições entre índios e caubóis. Ao menos nos filmes de John Wayne e John Ford, que usaram a paisagem repleta de penhascos e vales profundos para filmar seus westerns. É bem provável que, para conseguir as tomadas, a equipe cinematográfica tenha se hospedado em trailers e tendas. Realidade diferente de quem visita a região hoje. Uma geração de empresários indígenas mudou a cara do turismo local, criando hotéis autênticos e, ao mesmo tempo, confortáveis e modernos.

Um dos pioneiros nesse sentido está no Monument Valley Navajo Tribal Park. O View pertence a uma família da tribo navajo e foi construído com a preocupação de levar para dentro do ambiente o esplendor da paisagem que o circunda. Na cozinha, o chef MacNeal Crank utiliza ervas e verduras da própria horta e reinterpreta as receitas tribais que aprendeu com a avó.

 

Veja também:

linkLuxo zero para ter uma experiência autêntica

 

A 240 quilômetros dali, ainda no Arizona, há um ambiente bem semelhante em Canyon de Chelly, no Thunderbird Lodge. O antigo posto dos Correios de 1896 ganhou ares contemporâneos no hotel dirigido por funcionários navajos. Nos 73 quartos, internet wireless e decoração simples, mas de bom gosto, com quadros pintados por artistas locais.

 

PINTURA AO VIVO - Janelas amplas para mostrar a paisagem no View

A área que compõe o parque tem mais de 300 mil metros quadrados (quase o tamanho do Estado de São Paulo). Toda a terra pertence aos navajos - 80 famílias vivem ali. Ônibus de excursão não são permitidos e, exceto uma trilha, os visitantes só entram na reserva acompanhados por um guia da tribo.

Os tours pelo cânion em carros 4X4 oferecidos no Thunderbird são, até por isso, sempre acompanhados por um navajo. Outra opção são as cavalgadas - no nosso caso, tivemos a companhia de Cedric Aragon, de 28 anos, sócio do Rancho Totsonii. Seguindo em um ritmo tranquilo, descobrimos ruínas, pinturas em cavernas e sítios arqueológicos incríveis.

Em um determinado ponto do cânion, Aragon gritou: "Hooeee!" Imediatamente, recebeu uma centena de respostas, vindas de incontáveis pontos do cânion. Diante da minha admiração, ele explicou: "Eles podem ouvir você de qualquer lugar. Mas não podem localizá-lo. É por isso que esse lugar é especial: protegeu nosso povo por muito tempo."

OUTRAS EXPERIÊNCIAS

Não é só em Canyon de Chelly que os nativos americanos apostaram em empreendimentos convidativos. No Novo México, o Sky City Cultural Center, cujo restaurante serve pratos locais e indígenas, foi inaugurado aos pés do Pueblo Acoma. Ali é possível comprar passeios para percorrer o povoado.

O turismo tribal ganhou espaço, ainda, no território dos wendakes, ao norte de Quebec, no Canadá. O Huron Wenat, hotel-museu construído com vidro e madeira, enfatiza o conceito wendake de "ausência de limites". Seus 55 quartos ficam às margens do Rio Akiawenrahk. Para explorar a região, há diversas trilhas de bike.

Todos esses empreendimentos têm em comum o respeito pelo patrimônio cultural e consciência ambiental combinados com a sofisticação do século 21. Foi assim, ouvindo histórias das tribos, explorando cânions e dormindo muito bem, que descobri uma nova e gratificante maneira de viajar.

COMO IR

PASSAGEM AÉREA

SP-Albuquerque-SP: a partir de R$ US$ 992 na American Airlines (0--11-4502- 4000), US$ 1.205 na Continental (0--11-2122-7500), US$ 1.236 na United (0--11-3145- 4200) e US$ 1.292 na Delta (4003-2121). Com conexão

 

SABOR - Pães de canela assados no forno de barro no Acoma Pueblo

CANYON DE CHELLY

linkCanyon de Chelly National Monument (www.nps.gov/cach): está a quatro horas de Albuquerque, no Novo México. É possível fazer trilhas por conta própria nos lados norte e sul o ano todo. Por US$ 15 (R$ 28)

linkThunderbird Lodge (www.tbirdlodge.com): diária desde US$ 109 (R$ 204), quarto duplo

linkRancho Totsonii (www.totsoniiranch.com): tours guiados a cavalo a US$ 15 (R$ 28) por hora, mais US$ 15 pelo guia

MONUMENT VALLEY

linkMonument Valley Navajo Tribal Park (www.navajonationalparks.org): perto da divisa de Utah, Arizona e Novo México. Entrada US$ 5 (R$ 9,30)

linkView Hotel (www.monumentvalleyview.com): diária a US$ 195 (R$ 365) no quarto duplo

QUEBEC

linkHotel-Musee Premieres Nations (www.hotelpremieresnations.com): diária a 156 dólares canadenses (R$ 266)

linkPasseios: o cânion e a cachoeira Kabir Kouba e a trilha de bike pela área onde estiveram totens de oito clãs dos Huron Wendat

PUEBLO COUNTRY

linkSky City Cultural Center (www.sccc.acomaskycity.org): a uma hora ao oeste de Albuquerque. Os tíquetes para visitar o Acoma Pueblo custam US$ 20 (R$ 37)

linkHotel Santa Fe (www.hotelsantafe.com): diária a partir de US$ 158 (R$ 295). É dirigido por membros do Picuris Pueblo

TOUR

linkGo Native America (www.gonativeamerica.com): especializado em levar grupos a reservas como Lakota, Cheyenne, Blackfeet, Apache, Crow e Shoshone. Intérpretes e guias nativos

Mais conteúdo sobre:
Viagem & Aventura roteiros nativos

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.