Dylan Martinez/Reuters
Dylan Martinez/Reuters

Outras atrações nos passos da lenda do Rei Arthur

Só távolas redondas, seriam pelo menos duas. E há ainda o castelo que teria sido berço do lendário personagem

O Estado de S.Paulo

30 Maio 2017 | 04h18

1. O Stonehenge (foto), o círculo de pedras de Amesbury, a 135 km de Londres, tem uma história de mais de 4.500 anos repleta de especulações sobre motivos e métodos de sua construção. Uma delas é de que Stonehenge teria sido feito por Merlin, mago do Rei Arthur, com a ajuda de gigantes. Ingressos a partir de 16,50 libras ou R$ 70; bit.ly/stonemerlin.

2. Fica em Winchester, 110 km ao sul de Londres, a tal mesa redonda em que o Rei Arthur teria reunido seus cavaleiros – ou ao menos uma delas. Está exposta no Grande Hall das ruínas do Castelo de Winchester (3 libras ou R$ 12; bit.ly/mesaWin) e é tudo o que resta da construção do século 13, de William, o Conquistador. Visite antigas passagens secretas.

3. Durante escavações em 1937 em Cumbria, condado no norte da Inglaterra, um achado renovou o interesse na lenda do Rei Arthur. Há quem acredite que a plataforma circular baixa encontrada ali, hoje encoberta pela grama, seria a Távola Redonda. Ali também o Rei Arthur teria organizado as justas, duelos entre cavaleiros. A entrada é gratuita. Mais em bit.ly/mesaCumbria.

4. Na costa da Cornualha, no sudoeste da Inglaterra, as ruínas do Castelo de Tintagel (8,40 libras ou R$ 36; bit.ly/ArthurTintagel) conectam lenda e história. Construído por Ricardo, Conde da Cornualha, um dos nobres mais ricos da história da Grã-Bretanha, Tintagel ficava onde se acredita que tenha ocorrido o nascimento do Rei Arthur; por isso, aliás, Ricardo teria escolhido o local de construção.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.