Kevin Moloney/The New York Times
Kevin Moloney/The New York Times

Outras missões a serem conhecidas

Brasil, Argentina e Paraguai ainda guardam ruínas bem conservadas das missões jesuíticas

Guilherme Mendes, O Estado de S. Paulo

20 Dezembro 2016 | 04h30

Argentina 

Capital da província argentina de Misiones, Posadas está a cerca de 4h30 de carro de Puerto Iguazú, vizinha da brasileira Foz de Iguaçu (alugue do lado argentino para evitar problemas). Você pode se hospedar em Posadas, mais distante, ou sem San Ignácio – o sítio principal é o de San Ignácio Miní, que conta com um belo espetáculo de som, luz e holografias noturno. Nosso colunista Ricardo Freire esteve lá ano passado e achou dispensável esticar ao sítio de Nuestra Señora de Loreto. O ingresso custa 150 pesos (R$ 27) – confira as dicas do Turista Profissional.

 

Paraguai

Para quem vai conhecer os sítios de Trinidad e de Jesús, vale também ficar hospedado em Posadas – as missões ficam do outro lado do Rio Paraná, em Encarnación, a menos de 60 km da cidade. A entrada custa 25 mil guaranís (R$ 14,50) e vale para três dias de visita. Assim como as missões argentinas, trata-se de um patrimônio da humanidade da Unesco

 

Brasil

Se quiser fazer as três missões na mesma viagem, a brasileira está a cerca de 4 horas de Posadas, na Argentina. A partir de Porto Alegre, são cerca de cinco horas de viagem por Carazinho, que, segundo Ricardo Freire, tem o asfalto melhor do que pelo caminho mais curto, via Cruz Alta. Fundada em 1632, tem o museu mais rico de todas as missões, embora haja poucas construções de pé. Nas ruínas de São Miguel, o ingresso custa R$ 5 – veja as dicas e o roteiro sugerido por Ricardo Freire para percorrer as três missões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.