Palcos eternizados por craques

Estádios que abrigaram finais das Copas recebem visitantes e mantêm vivas lembranças de confrontos espetaculares

Mônica Cardoso, O Estado de S.Paulo

15 Junho 2010 | 02h22

A bola nem precisa rolar. Conhecer detalhes do estádio, ouvir histórias e pisar no gramado já faz a alegria de muito boleiro. Reunimos então os estádios que receberam as decisões dos três últimos Mundiais. Todos têm tours guiados, assim como o Maracanã ? palco da terrível derrota verde-amarela para o Uruguai em 1950 e forte concorrente para receber a final de 2014.

Alemanha. Construído na década de 1930 (foi lá que Hitler viu Jesse Owens, atleta negro dos Estados Unidos, levar quatro medalhas de ouro), o Olympic foi restaurado para a Copa de 2006. Foi ali que a Itália se tornou tetracampeã, depois de vencer a França nos pênaltis. Sobram curiosidades em uma visita ao estádio berlinense. Durante a reforma, operários encontraram uma bomba da Segunda Guerra, enterrada sob a arquibancada. A Torre do Sino, reconstruída depois de um bombardeio pelos ingleses, ganhou elevador panorâmico. Do alto de seus 77 metros, a vista vai do bairro de Spandau à Alexanderplatz. Ingresso 8. Mais: olympiastadion-berlin.de.

Japão. As marcas do pentacampeonato brasileiro sobre a Alemanha em 2002 ainda estão no Estádio de Yokohama, hoje chamado Nissan. No vestiário, réplicas das camisas usadas em campo ficam penduradas nos armários, autografados pelos craques da nossa seleção. Até a lousa com um confuso esquema tático está lá. Além de entrar no campo, os visitantes ganham um saquinho com o mesmo tipo de grama usado na decisão de 2002. Preço: 500 ienes (R$ 10). Site: www.nissan-stadium.jp[ ]

[/ ]França. Construído especialmente para a Copa de 1998, o Stade de France, em Paris, foi palco da intragável vitória da França sobre o Brasil. Mas ao invés de reinarem soberanas, as camisas do craques franceses dividem as atenções com uniformes da seleção de rugby, guitarras autografadas por Bono Vox e Bruce Springsteen e figurinos de óperas. A visita guiada dá acesso aos vestiários e ao túnel que leva ao gramado. Há dois restaurantes: do Le Panoramique, no 8.º andar, avista-se todo o estádio. Preço: 12. Site: stadedefrance.com.

Brasil. Mais de meio século de história pode ser conferida na visita de uma hora ao Maracanã. Na Calçada da Fama, 91 craques mundiais deixaram as marcas de seus pés, como Pelé, Garrincha e Ronaldo, Franz Beckenbauer e Marta, eleita por duas vezes a melhor jogadora do mundo. Do 6.º andar, a visão panorâmica do estádio. Para se sentir como um craque, sons imitam o barulho da torcida no túnel que dá acesso ao gramado. Entrada: R$ 20. Site: www.suderj.rj.gov.br.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.