CADW/Reuters
CADW/Reuters

Para acordar e passear aos pés de um castelo

Fortaleza foi erguida no século 18 pelo Rei Edward I

O Estado de S.Paulo

30 Maio 2017 | 04h18

Acordar aquecido pela lareira de uma hospedagem que remonta ao século 16, tomar café da manhã em uma taverna, sair e dar de cara com as paredes de um castelo de verdade. E isto não no cenário de um filme medieval, mas em um pernoite convencional em Caernarfon, cidadela real no noroeste País de Gales que é uma das bases para quem quer explorar as belezas naturais do parque Snowdonia.

A natureza épica dos quarteirões de Caernarfon contrasta com suas lojas e edificações modernas. Seu tamanho é minúsculo: há ali menos de 10 mil habitantes e toda a cidade pode ser vista em apenas um dia, mesmo a pé. Mas não se engane por isso: há muito a se fazer.

Reserve ao menos duas horas para visitar o monumental castelo de Caernarfon (10 libras, R$ 42; caernarfon-castle.co.uk), fortaleza construída pelo rei Edward I no século 18. O local é Patrimônio Cultural da Humanidade pela Unesco.

É importante estar bem protegido para a visita: a ventania nos pontos mais altos é extremamente forte. Alguma preparação física também é desejável, já que quase todas as áreas são acessadas por meio de (muitos) lances de escadas.

Apesar das várias intervenções, o castelo se manteve mais ou menos preservado desde a sua construção. Tanto que muitas alas seguem com baixa iluminação e há alguns trechos em que a sensação de medo pela altura se destaca, apesar dos equipamentos de segurança. As torres certamente são os melhores pontos a se visitar, dada a bela vista que garantem de toda a cidade.

Dentro dos cômodos há algumas exposições de estátuas e atrações multimídia que contam a história da realeza no local e mostram as principais figuras que ali viveram. Depois da visita, passe na loja na saída: há souvenirs diversos e criativos.

Forte. Outros destaques da cidade são o Segontium Roman Fort, que, apesar do nome, quase nada tem de uma fortaleza romana e hoje abriga apenas um traçado do que foram as muralhas desse monumento. A graça aqui é tentar reconstruir, com apoio de um guia turístico ou somente da própria imaginação, o que pode ter sido esse verdadeiro castelo erguido, provavelmente, no ano 70 a.C..

O que se vê, para além do enorme gramado, são pequenos buracos com escadas e resquícios do que poderia ter sido um banheiro, um quarto, uma sala. O governo local produziu, em 2014, um vídeo que reconstrói as paredes da fortaleza (assista: bit.ly/segontium). A cidade tem também uma estrada de ferro ainda em funcionamento que atravessa parte do Parque Nacional de Snowdonia. Se estiver sem tempo para visitar o parque de carro, o passeio de trem, que custa 20 libras (R$ 84), pode ser uma opção rápida para conhecer, ainda que à distância, a beleza natural das montanhas e cachoeiras.

Mais conteúdo sobre:
País de GalesUnesco

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.