Para brincar de espião, policial ou jornalista por um dia

Espaços pagos se dedicam a temas específicos e têm atividades que acrescentam emoção à visita

Wilson Baldini Jr., O Estado de S.Paulo

20 Janeiro 2009 | 02h15

Depois de entrar e sair do circuito Smithsonian sem colocar a mão no bolso hora nenhuma fica até estranho voltar a pagar para visitar museus. Mas alguns espaços têm acervos tão específicos e interessantes que fazem você correr para o balcão de tíquetes sem pensar uma segunda vez sobre o assunto.  Veja também:Washington vive momentos de euforia. Na política e no turismo Você no palco de grandes decisões Acervos inacreditáveis - e gratuitos Diversão também para as crianças Três bairros concentram o agito Grifes e souvenirs para lotar a mala Em Chicago, o lar do presidente Tour para ver a vovó famosa Considerações corporativas à parte, o Newseum está na lista dos que valem o ingresso. Ainda da calçada é possível ver as notícias de destaque nas primeiras páginas de 80 jornais do planeta. Isso logo de manhã. No interior, 15 teatros e 14 galerias levam o visitante a uma viagem no tempo por meio de fotos, documentários e entrevistas. Um helicóptero utilizado por um canal de TV americano está pendurado no hall de entrada. E chama tanta atenção quanto um pedaço do muro de Berlim, que veio abaixo em 1989. No primeiro andar ficam as fotos que receberam o Prêmio Pulitzer. Como a tragédia chama mais atenção, o material foi considerado desaconselhável para crianças. O segundo piso é destinado mais aos jovens. Quem quiser pode até gravar uma "reportagem", utilizando equipamentos originais do canal NBC. Quer um souvenir diferente? O Newseum montou o pôster Historic Change, que reproduz as manchetes de 20 jornais americanos sobre a vitória de Obama. O cartaz custa US$ 24,99 (R$ 58). A versão em cera do presidente, é claro, ocupa lugar de destaque na unidade do Madame Tussauds em Washington. Hillary Clinton, rival pela indicação democrata e a partir de hoje secretária de Estado, também está por lá. O museu criou pacotes comemorativos, com direito a foto com os personagens, pins e outros itens. Se você não foi a nenhum outro museu da rede mundo afora, o passeio pode ser divertido.Não deixe de passar no Spy Museum. De Maxwell Smart a 007, a guerra contra o terrorismo e a disputa entre capitalismo e comunismo são muito bem detalhadas. Todas essas batalhas motivaram uma revolução nos equipamentos, como fones de ouvidos, câmeras, binóculos e computadores. Mas você deve escolher bem o momento da visita. O ginásio do Washington Wyzards fica bem do lado museu e, nos dias de jogos pela NBA, as ruas da região são bloqueadas, atrapalhando demais o trânsito. Crime e castigoPassando dos espiões para o mundo sombrio de ladrões e assassinos, siga para o National Museum of Crime and Punishment. Séculos de crimes e de combate aos bandidos estão arquivados ali. Piratas, bandoleiros do Velho Oeste, criminosos de colarinho branco, hackers... O visitante pode passar pela CSI Experience (inspirada na série do canal a cabo AXN), participando de uma "investigação" completa, da cena do crime à solução do caso. Há, ainda, atividades interativas: você atira, tenta abrir um cofre, invadir um site... Newseum: www.newseum.org; o ingresso custa US$ 20 (R$ 46)Madame Tussauds: www.madametussauds.com; entrada a US$ 18 (R$ 42)Spy Museum: www.spymuseum.org; por US$ 18 (R$ 42)National Museum of Crime: www.crimemuseum.org; por US$ 17,95 (R$ 41,88)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.