Para realizar o sonho da torre própria

 

Flavia Guerra

08 Junho 2010 | 03h52

Aluguel. O quarto acima está entre as opções de lugar para ficar na Toscana. Foto: Flavia Guerra/AE

 

Que alugar uma típica Villa Toscana não é tarefa das mais difíceis o turista mais antenado já sabe. Mas realizar o sonho da torre própria ainda é para poucos. Não somente porque o feito requer investimento um pouco maior que alugar uma casa ou quarto de castelo, mas sim porque são raros os que, diante da exuberância da Torre de San Gimignano, sabem que o topo do monumento abriga um flat de veraneio capaz de encher os olhos dos turistas mais mal acostumados do mundo.

Do tipo que sabe que luxo vero é observar a Piazza Del Duomo enquanto se pensa em por que ninguém, antes dos toscanos, tinha chegado à conclusão de que os cantuccini (os deliciosos biscoitos de amêndoa e pinoli) ficam ainda mais saborosos quando mergulhados no tradicional, e local, vin santo.

A dúvida se torna mais cruel quando se pensa que o vin santo foi comprado na piccola vinícola da cidade vizinha e que se pode saborear essas delícias da gastronomia toscana do terraço de sua própria torre. Ou quase própria. Afinal, alugar esta joia construída no século 13 pela poderosa família Salvucci custa menos que muitos cinco-estrelas - cerca de 1.200 por semana.

 

Veja também:

Toscana como se deve

Dos lendários Chianti à tradicional panzanella, sabores surpreendem

Ainda que alternativo, não perca os clássicos

É também Posarelli que guarda esta maravilha a sete-chaves. Para abrir a tão desejada porta maciça, da época em que os Médici eram os senhores da região, é preciso subir 48 andares, ou 160 degraus. O caminho é árduo, mas a vista, e a sensação de mirar a mesma vista que os Salvucci tinham, vale o esforço.

Para os mais modestos, que se hospedam em uma das casas das vilas da região, o caminho de volta reserva outra joia medieval: Monteriggioni.

Com diâmetro de apenas 172 metros quadrados, o pequeno burgo murado surpreende com atrações que vão desde a vista de tirar o fôlego para os campos de girassol até a chance de descobrir uma escondida fábrica de sapatos , que, como bem diz a proprietária, "ganham uma etiqueta de grife e são vendidos a preço de ouro em Milão".

Em um momento consumista, não perca a chance e o prazer de também comprar uma bolsa exclusiva pela bagatela de 70. Isso em plena cidade medieval murada.

 

 

O MAPA DA MINA

 

Casa própria

Quem quiser alugar uma casa, uma vila, um quarto de castelo e até uma torre pode contatar a Posarelli Villas. Além de um site em português (www.posarellivillas.com.br), acaba de criar um blog: posarellivillas.com/blog. Além do Castello di Montegufoni (onde também se realizam casamentos), a empresa tem mais 600 propriedades

 

Novo Luxo

O JK Place tem site próprio (www. jkplace.com), mas quem preferir falar português na reserva, pode contatar a Tablet (http://www.tablethoteis.com.br/)

 

Pane e Vino

Os que preferem se aventurar pelos vinhedos toscanos e quiserem aprender tudo sobre o processo de fabricação de um Chianti com denominação de origem controlada pode optar pela Villa L’Arco (www.cantinelarco.it). Além de descobrir os segredos da ‘poesia da terra’ - como seus fundadores definem o vinho -, é possível se hospedar em uma das belas casas da vila, que também conta com uma capela e organiza cerimônias e festas de casamento.

Mais conteúdo sobre:
Toscana aluguel Viagem

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.