Para testar o fôlego e encher os olhos

Machu Picchu

O Estado de S.Paulo

23 Maio 2013 | 02h10

O clima seco garante a escassez de chuva e faz de julho o mês mais concorrido na mitológica cidade de pedra dos incas. É um período infalível, embora um tanto muvucado, para fazer a Trilha Inca, que podem ser dois ou quatro dias de caminhada pelos Andes peruanos até dar de cara com o cenário dramaticamente belo e estonteante onde foi erguida Machu Picchu. Para ingressar no sítio arqueológico, Patrimônio Mundial da Humanidade, é preciso garantir reserva no site www.machupicchu.gob.pe.

Atacama

Paisagens extraterrestres fascinam quem se aventura a descobrir o Deserto do Atacama, no norte do Chile. O Vale da Lua, como o próprio nome indica, e o Vale da Morte, exótico e intrigante, fazem parte de um roteiro básico e imprescindível, assim como os salares e os gêiseres del Tatio. Ao longo de todo o ano, mas especialmente nas frias noites de inverno, há uma oportunidade a mais: observar as estrelas. O céu do Atacama desponta como um dos mais ricos em constelações. Procure pelo Tour das Estrelas no site spaceobs.com.

Perito Moreno

É a geleira mais famosa do Parque Nacional los Glaciares, no sul da Patagônia argentina. Seu contínuo avanço provoca estrondos e rupturas colossais, num espetáculo natural sem similar. A cidade-base para visitá-lo é El Calafate, onde estão concentrados hotéis e agências de turismo. De maio a setembro, a temperatura baixa consideravelmente e os preços para os turistas também ficam bem mais amenos. Mais: losglaciares.com.

Chapada Diamantina

As melhores trilhas do Brasil estão lá: Vale do Pati e Capão-Guiné provam isso. Morros e cachoeiras improváveis, como a da Fumaça e do Buracão, completam uma oferta recheada de aventura no interior da Bahia. Em julho, pousadas e restaurantes de Lençóis costumam fazer promoções. Confira no portal chapada.org.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.