Estadão
Paraiba Estadão

Paraiba Estadão

Paraíba: escolha seu roteiro pelo perfil de cada lugar

Tem praia quase selvagem no norte, badalação na capital, mar com rio ao sul: nos 138 km de orla do Estado há lugar para todo turista

Eduardo Vessoni , Especial para O Estado de S. Paulo

Atualizado

Paraiba Estadão

JOÃO PESSOA  - Em uma das menores costas litorâneas do Brasil, existe uma Paraíba para cada perfil de banhista. Com cerca de 55 praias de cenários tão diferentes, de norte a sul, a gente mal se dá conta de que o Estado tem apenas 138 quilômetros de litoral.

Se João Pessoa é o endereço fervido dos turistas que se encontram em Cabo Branco e Tambaú, bairros que concentram os hotéis e restaurantes da capital paraibana, nos extremos do Estado ficam as praias mais isoladas, aquelas onde a sensação é de ter uma Paraíba só para você.

Tem praias selvagens que poucos paraibanos conhecem; mar que chega agitado aos pés de falésias coloridas; e até uma que pode ser acessada por trilha alternativa que começa dentro do mangue, segue a correnteza do rio e termina no mar.

São tantas em um mesmo lugar que, quando falta nome, eles buscam inspiração lá fora para dar título a outras faixas de areia, como Caribessa, a mais nova sensação da capital paraibana, uma mistura de Praia do Bessa com Caribe.

Uma das particularidades da orla paraibana é a ausência de construções com mais de três andares, o que significa ter sol durante quase todo o dia. A maioria das praias tem ainda bom nível de balneabilidade. De acordo com relatório divulgado pela Sudema (Superintendência de Administração do Meio Ambiente), na primeira semana de fevereiro, das 56 praias monitoradas pelo órgão, apenas 14 praias apresentavam trechos considerados impróprios.

Mas, em tempos de crise, a melhor notícia é que o turismo por ali ainda não assumiu as cifras inflacionadas dos vizinhos nordestinos mais famosos. Mesmo na alta temporada de verão, é possível encontrar água de coco a justos R$ 2 na turística Tambaú e diária a menos de R$ 200 para o casal em pousadas do trecho sul do Estado. Nesta reportagem, veja onde estender sua toalha. 

SAIBA MAIS

Como ir: Gol; Azul e Latam voam direto a João Pessoa, desde R$ 617.  

Onde ficar: em Manaíra, o hotel Hardman Praia tem pegada sustentável e piscina de frente para o mar. Desde R$ 304.

ASSISTA

Jurandy do Sax toca o clássico 'Bolero de Ravel' na Paraíba

Encontrou algum erro? Entre em contato

Cabessa

Litoral norte de João Pessoa

Eduardo Vessoni, O Estado de S.Paulo

05 de março de 2019 | 02h30

“O mar hoje não está Bessa, está Caribessa.”

Foi em uma conversa despretensiosa com um amigo que David Montenegro daria o apelido de uma das praias mais movimentadas do litoral de João Pessoa e criaria a marca Caribessa Escritório Praia. Na verdade, um pequeno trecho dos cerca de cinco quilômetros da Praia do Bessa que incorporou o Caribe no nome não oficial.

De águas mansas e azuladas por conta dos arrecifes que protegem o mar, este trecho de Paraíba com talento caribenho “é a praia dos bebês e dos idosos”, compara Montenegro, em um domingo de sol instável, mas com areia lotada de jovens e famílias que dividiam espaço com cadeiras, guarda-sóis, caiaques e barracas de petiscos. 

No entanto, nada se parece ao que o Bessa era nos distantes anos 1970, quando os avós de David deixaram a cidade de Santa Rita para morar naquela então área deserta de João Pessoa. A calmaria daquela época foi substituída por agito intenso. 

O QUE FAZER

Caribessa Escritório Praia: a empresa serve como base para a diversão neste trecho da praia em João Pessoa: aluga caiaque (entre R$ 10 e R$ 40) e prancha de stand up paddle (de R$ 20 a R$ 40, de acordo com o tempo de uso) e oferece também saídas para remar no Rio Sanhauá durante o pôr do sol. 

 

ONDE COMER

Com cardápios à la carte e self service, o Picuí Praia é conhecido pela produção artesanal de carne de sol, servida em versões com manteiga do sertão (R$ 66), nata e queijo de cabra (R$ 71,50) e recheada com queijo coalho (R$ 82,50). Fica na Rua Severino Linhares Pordeus, 69. Tel.: 83-3246-3377. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Cabo Branco

Litoral sul de João Pessoa

Eduardo Vessoni, O Estado de S.Paulo

05 de março de 2019 | 02h30

Centro nervoso do turismo de João Pessoa, essa praia urbana tem grande concentração de restaurantes, locadoras de carros e hotéis.

São cerca de 5 quilômetros de extensão, considerada uma das orlas mais bonitas da cidade, sobre falésias e em área de Mata Atlântica preservada.

Há cerca de dois anos, o bairro ganhou o Parque Cabo Branco, um espaço ao ar livre com mais de 40 opções gastronômicas em food trucks, contêineres e food bikes. Localizado na beira mar, o estabelecimento é o primeiro do gênero na capital paraibana e tem opções como pastéis, hambúrgueres, crepes e cervejas artesanais, além de música ao vivo e área infantil de 80 metros quadrados.

ONDE IR

Parque Cabo Branco: na Avenida Cabo Branco. Tel.: 83-98650-1380. Funciona de terça a quinta-feira, das 18 às 23 horas; às sextas e sábados, até a meia-noite; e domingos, das 17 às 23 horas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Barra do Camaratuba

Litoral norte da Paraíba

Eduardo Vessoni, O Estado de S.Paulo

05 de março de 2019 | 02h30

No extremo norte do Estado, na divisa com o Rio Grande do Norte, Camaratuba é a Paraíba que não tem pressa de acontecer. De mar aberto e ondas fortes que atraem surfistas, o destino pauta seu ritmo pelo nível da maré.

Boca da Barra ganha poções de fundo arenoso, no encontro do Rio Camaratuba com o mar, o endereço mais recomendado para famílias em área mais tranquila para banhos; bugues cortam longas faixas de areia até piscinas naturais que surgem na maré baixa, com o Rio Guaju como fronteira natural com terras potiguaras; e barcos indígenas de madeira fazem passeios que riscam canais interiores de águas calmas.

Mas o melhor desse distrito do município de Mataraca, a 110 quilômetros de João Pessoa, é a Trilha do Caranguejo Uçá, uma caminhada de 3 quilômetros de extensão que começa em um trecho raso de mangue e circunda aquele cenário surreal de raízes aéreas até o Camaratuba, onde o participante flutua com o auxílio de boias do tipo espaguete. Dali para frente é só deixar-se ser levado pela correnteza até a foz do rio.

“É uma trilha de imersão e total conexão com a natureza”, avisa o condutor Bruno Azevedo.

 

De costas para o turismo de massa, Barra do Camaratuba é considerada um dos últimos trechos selvagens do litoral paraibano. Vá preparado para viver uma das experiências mais intensas de todo o litoral do Estado.

ONDE SE HOSPEDAR 

Pousada Potiguara: pé na areia, literalmente, a pousada tem 26 opções de quartos amplos e piscina com vista para o mar. A diária para o casal custa R$ 300 e inclui café da manhã.

 

COMO FAZER PASSEIOS

Potiguara Experiências: a agência organiza passeios como o da Trilha do Caranguejo Uçá (R$ 20 por pessoa), de barco pelo Rio Camaratuba com (R$ 35) e saída de bugue até as piscinas naturais que se formam na maré baixa (R$ 300 para até 4 pessoas). Tel.: 83-98180-1408. 

Tudo o que sabemos sobre:
Paraíba [estado]turismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Pitimbu

Litoral sul da Paraíba

Eduardo Vessoni, O Estado de S.Paulo

05 de março de 2019 | 02h30

No litoral sul da Paraíba, a 65 quilômetros de João Pessoa, esse trecho já não é novidade… Para os pernambucanos, devido à proximidade com o Estado vizinho e por ser uma alternativa para quem busca praias isoladas.    

A recente qualificação profissional e a melhora na infraestrutura local fez da região o mais novo produto turístico paraibano.

“Por passar tanto tempo despercebida, ainda tem muitos lugares preservados. É uma paisagem intocada”, avisa Francisco Pinheiro, secretário de Turismo e Meio Ambiente desse destino com 13 praias e 4 estuários.

Maior orla do Estado, com 26 quilômetros de praias, Pitimbu se exibe na Praia Bela, em passeios de quadriciclo sob falésias, caiaques e pranchas de stand up paddle, ou em uma tirolesa de 150 metros de extensão que termina no rio.

 

Alternativa às já saturadas piscinas naturais da Paraíba e da pernambucana Porto de Galinhas, as piscinas naturais do Farol desaceleram ainda mais a viagem pela tranquila Pitimbu, conjunto de área para banho, a cerca de 1,5 quilômetro da praia, cuja travessia costuma ser acompanhada por golfinhos.

ONDE SE HOSPEDAR

Pousada Aconchego: uma das poucas opções de hospedagem em Praia Bela, tem 15 apartamentos ao redor da boa piscina. Diárias entre R$ 175 e R$ 220.

 

O QUE FAZER

Quadriciclo - Passeio com guia, mas pilotado pelo turista: R$ 150 para duas pessoas na Ecotrilhas Pitimbu (83-98213-2036).

Piscinas naturais do Farol - De barco, com almoço a bordo, aproximadamente R$ 200 para até 12 passageiros: 83-3299-1016.

Tudo o que sabemos sobre:
turismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Praia do Jacaré

Cabedelo, litoral norte de João Pessoa

Eduardo Vesoni, O Estado de S.Paulo

05 de março de 2019 | 02h30

De volta à orla urbanizada da Paraíba, essa praia ficou famosa pelas apresentações diárias de Jurandy do Sax, que, no início de fevereiro deste ano, fazia sua apresentação número 6.661.

Não tem como negar que uma cidade inteira cresceu e se estruturou, turisticamente, em torno do músico.

Uma das mais procuradas do Estado, a atração ganhou, recentemente, uma reestruturação que retirou as barracas que impediam o público não pagante de ver a apresentação. O local, a 18 quilômetros de João Pessoa, agora conta com um calçadão com vista para o Rio Paraíba e maior quantidade de lojas para os turistas.

Desde 1993, esse bacharel em clarinete executa o Bolero de Ravel, diariamente, sobre uma canoa; a duração da música acompanha o tempo que o sol leva para se pôr.

Em 2004, a fama ultrapassou os limites paraibanos e chegou até Levallois-Perret, comuna francesa que abriga os restos mortais do músico Ravel, onde Jurandy foi convidado a tocar.

“Me dá alegria poder levar a Paraíba para tão longe”, disse Jurandy com seu tom de voz baixo e calmo, minutos antes da apresentação em que a reportagem esteve presente. Assista à entrevista e à performance do músico abaixo

QUANDO VER

Jurandy do Sax: apresentação diária gratuita, às 17 horas; chegue antes para pegar um bom lugar. Também é possível fazer passeios de catamarã durante o show (entre R$ 35 e R$ 45).

 

 

Tudo o que sabemos sobre:
Paraíba [estado]Cabedelo [PB]

Encontrou algum erro? Entre em contato

Barra do Gramame

Litoral sul de João Pessoa

Eduardo Vessoni, O Estado de S.Paulo

05 de março de 2019 | 02h30

Popular e beira-rio, a Barra de Gramame é a João Pessoa sem frescura. A 25 quilômetros da orla urbana da capital, é frequentada sobretudo por moradores da região.

Uma língua de areia separa essa extensa praia de ondas fortes e o rio que dá nome ao local, cujas águas costumam ganhar mesas e cadeiras de plástico sobre bancos arenosos que surgem de acordo com a maré. Caiaques e pranchas de stand up paddle podem ser alugados ali mesmo, principalmente nos fins de semana.

De um lado há barracas rústicas e serviços como passeios de barco em águas fluviais. Mas a versão mais selvagem de Gramame fica à direita da praia, em direção às falésias alaranjadas que se debruçam sobre o mar, em uma das praias mais cênicas do litoral pessoense, no limite com o município de Conde.

 

COMO CHEGAR 

Os raros turistas que visitam a Barra de Gramame costumam chegar apenas em passeios privativos de bugue. Quem vai de carro por conta própria deve seguir pela PB-008, em direção a Conde, no litoral sul da Paraíba.

Tudo o que sabemos sobre:
turismoJoão Pessoa [PB]

Encontrou algum erro? Entre em contato

Onde comer na Paraíba

Quatro opções de cozinhas regionais e contemporâneas

Eduardo Vessoni, O Estado de S.Paulo

05 de março de 2019 | 02h30

Confira lugares para comer bem no Estado.

Cozinha Roccia

Sob comando do chef Onildo Rocha, é daqueles restaurantes que rompem paradigmas: é o gim tônica com maxixe, a pipoca de feijão verde, o ravióli de caranguejo com molho de lambretas, o tartare de carne de sol e tapioca, a surpreendente rabada com mandioca folheada. A maioria dos ingredientes é da própria Paraíba – o restante é de Pernambuco e do Rio Grande do Norte. Destaque para o menu degustação de 15 tempos (R$ 210), que ocorre em datas específicas com pratos como guioza de mandioca e lula. Pratos desde R$ 35.

Salsa It

Localizado no Hardman Praia Hotel, em Manaíra, o restaurante se destaca pelo cardápio de pratos regionais como os dadinhos de tapioca com molho de pimenta (R$ 22) e o risoto com carne de sol e queijo coalho (R$ 47). 

Estaleiro (Rua dos Camarões, 95, Ponta do Seixas. Tel.: 83-3251-1142)

Na Ponta do Seixas, o extremo das Américas, está mais afastado do circuito turístico – espere filas nos fins de semana. Pratos servem até 3 pessoas, com opções como filé de linguado com pirão (R$ 60), morangas com peixe ou camarão (de R$ 93 a R$ 120) e pescada amarela, levemente, empanada e com camadas de creme branco e bananas fritas (R$ 80). 

Pizzaria Pimenta Nativa (Rua Fernando Luiz Henrique do Santos, 2468 (Bessa - João Pessoa). Tel.: (83) 3506-0911)

Pizzas crocantes com ingredientes regionais como carne de sol, coalho e manteiga de garrafa. Redondas a partir de R$ 32.

Tudo o que sabemos sobre:
Paraíba [estado]turismogastronomia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.