Divulgação
Divulgação

Paris

Design

Bruna Toni, Felipe Mortara e Mônica Nóbrega, O Estado de S. Paulo

03 Março 2015 | 03h00

Uma das cidades mais caras da Europa, Paris é sempre difícil para quem tem orçamento limitado para hospedagem. Com o agravante de que os hotéis mais em conta em geral são antiquados e maltratados pelo tempo. O Hotel Gaston é um alívio no cenário. Recém-reformado, adotou um layout moderno: paredes grafitadas, decoração colorida e tapetes geométricos para merecer a classificação de hotel-design. 

Como não se pode ter tudo, neste caso os quartos são minúsculos – mal cabem a cama, uma mesinha e uma cadeira –, mas têm banheiro próprio. A localização, no 17º Arrondissement, também tem seus senões: nenhum dos principais pontos turísticos está por perto. Mas o metrô, sim (estações Pereire e Wagram) – o que, em Paris, resolve a questão. 

O autodeclarado hotel ecológico e coloridíssimo Hi Matic é outra alternativa de pernoite em uma cama parisiense nova. Aberto há três anos, tem 42 quartos ultracompactos, com cerca de 8 metros quadrados e banheiro, que lembram o brinquedo Lego – paredes azuis, camas roxas, travesseiros verdes. Fica no 11º Arrondissement, dá para ir a pé ao Cemitério Père Lachaise ou à Praça da Bastilha. No econômico café da manhã orgânico, a cenografia tem frutas servidas em caixotes de madeira da feira.

Tanto no Hotel Gaston (hotel-gaston.com) quanto no Hi Matic (hi-matic.net) a diária começa em A 75 (US$ 84)

Mais conteúdo sobre:
hotéis

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.