Paris nas férias, com filha adolescente: o que fazer?

Estou pensando em viajar com minha filha de doze anos para Paris, em julho. É uma boa época? A Copa do Mundo atrapalharia a viagem? Ela está aprendendo sobre o Louvre na escola e gostaria de visitar o museu. O que mais podemos fazer em sete dias? (Cristina, São Paulo)

RICARDO , FREIRE, O Estado de S.Paulo

03 Junho 2014 | 02h06

Muita gente desaconselha ir no verão, mas eu gosto muito de Paris em julho e agosto: a vida acontece na rua (e nos parques), e os hotéis oferecem tarifas menores. As ondas de calor são raras, mas é bom reservar um hotel com ar condicionado. A Copa do Mundo só atrapalha a sua viagem se você e sua filha quiserem assistir a todos os jogos pela TV.

O mais proveitoso é dividir a visita ao Louvre em duas ou três passadas, investindo duas a três horas por vez. O museu fecha às terças-feiras - mas funciona até as 21h45 às quartas e sextas. A entrada para adultos custa 12; menores de 18 anos, de qualquer nacionalidade, não pagam. Uma boa ideia é comprar um Paris Museum Pass. O passe de 4 dias consecutivos custa 56 e elimina a fila da bilheteria em 60 museus e monumentos (sua filha entra gratuitamente e fura a fila junto com você). O passe se paga se vocês visitarem também o Palácio de Versalhes, o Museu do Quai d'Orsay, o Museu Rodin e subirem ao topo do Arco do Triunfo - e permite voltar ao Louvre quantas vezes quiserem durante a validade do passe.

Recomendo também comprar um passe de um dia ( 15) para o Batobus, o barco-ônibus que navega pelo Sena com paradas em pontos-chave, como Notre-Dame, o Louvre, o Quai d'Orsay e a Torre Eiffel. Tente comprar online o ingresso com horário marcado para subir a Torre Eiffel (tour-eiffel.fr). Se a cota de ingressos por hora marcada já tiver se exaurido, dá para evitar a fila de duas horas reservando (no mesmo site) uma refeição no restaurante 58 Torre Eiffel, que fica no segundo estágio da Torre (ali você compra ingressos para subir ao topo sem enfrentar grandes filas).

Não deixem de fazer programas típicos do verão. Subam na Grande Roue, a roda-gigante de Paris, junto ao Jardim das Tulherias. Num dia bonito, passem num mercado e façam um piquenique: os melhores locais são os Jardins de Luxemburgo e o Canal St.-Martin. E tirem um dia para ir de trem até Giverny, para visitar os jardins da casa-ateliê de Claude Monet.

E tenham cuidado com os batedores de carteira, que são onipresentes. Deixem passaportes no cofre do hotel e segurem as bolsas no metrô e em aglomerações.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.